Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Returno: uma nova competição

Na visão de Marlon Freitas, os sete primeiros jogos irão decidir por qual lugar na tabela o Criciúma irá brigar
Lucas Renan Domingos
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 10/08/2018 - 08:00
Criciúma fez apenas um ponto nas sete primeiras rodadas do turno / Foto: Daniel Búrigo / A Tribuna
Criciúma fez apenas um ponto nas sete primeiras rodadas do turno / Foto: Daniel Búrigo / A Tribuna

Começar o segundo turno, como terminou o primeiro. É essa a receita que o Criciúma pretende seguir no início do returno. E o primeiro desafio é já no sábado, contra o Atlético-GO, no Estádio Heriberto Hülse, às 16h30min. Atualmente, o Criciúma está a sete pontos do G4 e, ao mesmo tempo a apenas três da zona de rebaixamento. Para pensar em alcançar o grupo dos quatro que sobem para a Série A, o tricolor terá que surpreender.

Nos próximos sete adversários, no início do turno, o Criciúma conquistou apenas um ponto. Na estreia, diante dos goianos, o Tigre sofreu um revés por um placar de 3 a 2 e agora a intenção é ser diferente. “Serão esses jogos que irão decidir em qual lugar da tabela a gente vai brigar. O Mazola tem nos orientado bastante sobre o adversário. Tem jogadores de qualidade e acho que devem vir com uma marcação forte”, analisou o volante Marlon Freitas.

Por isso o Criciúma não quer tropeçar em casa e irá enfrentar um time que vem bem na competição. O Atlético-GO é o quarto na tabela. “Uma derrota aqui muda tudo”, lembrou o jogador. “Estamos dando nosso melhor não é à toa que estamos saindo da situação que a gente estava. A partir de agora podemos dizer que é uma nova competição”, acrescentou o volante.

Dúvidas no ataque

Nas últimas partidas, Mazola optou por ter Nicolas e Vitor Feijão fazendo a dupla de ataque. Só que Nicolas passou por uma cirurgia na quarta-feira – após sofrer uma fratura no rosto no jogo contra o Sampaio Corrêa – e deve ficar alguns dias sem treinar. Com isso, caiu no colo do treinador uma dúvida no ataque.

Nos trabalhos realizados ontem no Estádio Heriberto Hülse, o técnico testou duas duplas. Em um primeiro momento, ele colocou Joanderson ao lado Vitor Feijão, que jogou mais centralizado enquanto o parceiro treinou um pouco mais recuado, próximo do setor de meio-campo e pelo lado esquerdo. Depois Joanderson e Vitor Feijão saíram para dar lugar para Zé Carlos e Julimar.