Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Receita da região deve diminuir em aproximadamente R$ 20 milhões

Queda mais crítica já passou, e previsão é de que até final do ano arrecadação chegue próxima a de 2019
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 16/07/2020 - 09:11Atualizado em 16/07/2020 - 09:14
Foto: arquivo / 4oito
Foto: arquivo / 4oito

A pandemia do novo coronavírus deve causar uma diminuição de R$ 20 milhões nos cofres públicos dos municípios pertencentes à região carbonífera. De acordo com o coordenador econômico da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec), Ailson Piva, o primeiro semestre teve a maior queda, mas ainda há uma diminuição prevista para os próximos meses.

“Nesses primeiros meses, até julho, tivemos uma queda que está em R$ 16,5 milhões, e a projeção é de que aumento mais um pouco até o final do ano, algo de R$ 20 milhões à R$ 21 milhões de déficit nos municípios da Amrec, referente a 2019”, declarou.

O déficit do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foram significativos na região entre os meses de março e junho. “Chegou a 22% de déficit em alguns meses, um valor bastante considerável”, pontuou Piva. 

A soma da perda de receita da Amrec neste primeiro semestre seria equivalente a arrecadação de um município de médio ou pequeno porte da região, segundo Piva. “Nosso maior município, Criciúma, perderia em torno de RR$ 6 a R$ 7 milhões. O montante que perdemos é muito grande, mesmo recompondo alguns setores essa queda ainda vai atingir esse patamar”, afirmou.

Apesar das quedas econômicas, o ICMS, maior tributo pago pelos municípios, vem se recuperando - um sinal de que a economia está em processo de retomada. “Nossa maior queda foi em maio: 25%. Mas agora já deu um alento, em junho, em que a queda referente a 2019 é de 3%. É um número positivo economicamente. Até o final do ano esperamos que consigamos recuperar o que foi perdido nos meses de maio e junho e, se não igualar, chegar perto do que foi recebido em 2019”, ressaltou.