Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Quem é Daniela Reinehr, a primeira mulher a governar Santa Catarina

Vice assumirá o Estado na terça-feira, devido ao afastamento de Carlos Moisés por 180 dias
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Florianópois, SC, 24/10/2020 - 09:18Atualizado em 25/10/2020 - 11:35
Daniela Reinehr acompanhou toda a sessão do Tribunal Especial do Impeachment. Foto: Divulgação
Daniela Reinehr acompanhou toda a sessão do Tribunal Especial do Impeachment. Foto: Divulgação

Advogada, Daniela Cristina Reinehr é natural do município de Maravilha, no Oeste e nascida em ‎4 de abril de 1977. Advogada. Esta é a primeira mulher a governar o estado de Santa Catarina, pelo menos pelos próximos 180 dias. Vice de Carlos Moisés (PSL), eles foram eleitos com 71,09% dos votos em 2018.
Em 1996, antes dos 20 anos de idade, Daniela ingressou na Polícia Militar, iniciando como soldado e exerceu funções por três anos. Em 2019 deixou a PM para se formar no curso de direito pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UnoChapecó).

Daniela e Carlos Moisés, na eleição de 2018

Engajada em movimentos em sua então cidade, Chapecó, aderiu ao movimento nacional "Nas Ruas", tornando-se uma das lideranças nas mobilizações e participando ativamente da campanha pelo impeachment de Dilma Rousseff em 2016. 

Confira também:

Impeachment: Moisés afastado, Daniela governadora

Adelor Lessa: Agora sim, bolsonarismo assume governo catarinense

"Foi feita a justiça", afirma a governadora Daniela

Nas eleições de 2018, concorreu como candidata à vice-governadora na chapa de Carlos Moises, na época ela também estava no PSL. No primeiro turno, a chapa alcançou 29,72% dos votos válidos (1.071.406 votos), ficando em segundo lugar na disputa com Gelson Merisio, (PSD). No segundo turno, Carlos Moisés e Daniela Reinehr foram eleitos aos cargos de governador e vice-governador de Santa Catarina com o voto de mais de 70% dos catarinenses. 

Então eleita primeira vice-governadora da história de Santa Catarina, Daniela Reinehr comemora a vitória nas urnas em 2018

“Sem ser decorativa”

Em 30 de outubro de 2018, em entrevista ao Programa Adelor Lessa, da Rádio Som Maior, Daniela dizia que não seria uma vice decorativa. “É uma honra muito grande ser a primeira mulher a participar do Governo e igualmente receber essa votação gigantesca. Isso muito nos honra e deixa muito felizes, e só aumenta a responsabilidade com a nossa terra. Eu pretendo ser o braço direito do Comandante Moisés, não quero ser um objeto decorativo, a gente sabe que tem muito trabalho pela frente”, explanou.

Ouça a entrevista concedida por Daniela Reinehr na época:

Afastamento entre Daniela e Carlos Moisés

Ajudados pela “onda Bolsonaro), eles acabaram se afastando com o decorrer do tempo. Ela, por ter pensamentos alinhados ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo fato do governador se distanciar destes pensamentos. Daniela, inclusive, deixou o PSL e segue sem partido, seguindo o que fez o presidente Jair Bolsonaro.

Daniela com o presidente da República Jair Bolsonaro

Como Daniela chega ao maior cargo do estado

Daniela ascende ao maior cargo do estado às 1h51min da madrugada deste sábado, 24, com o voto do desembargador Ricardo Roesler que anunciou o seu voto: "com maior respeito por todos os votos. eu não vislumbro elementos que permitam uma justa causa acolher o parecer e consequentemente receber a representação e formalizar acusação em face da vice-governadora". Com isso, Roesler arquivou o processo de impeachment contra a vice-governadora Daniela Reinehr, que torna-se governadora do Estado pelos próximos 180 dias.

Deputada federal Carla Zambelli, de São Paulo, é uma das defensoras de Daniela Reinehr:

 

O pedido de impeachment do governador Carlos Moisés e da vice-governadora Daniela Reinehr foi aprovado em 17 de setembro de 2020, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. A composição da comissão especial foi aprovada em 22 de setembro de 2020.

Ouça a análise de Daniela Reinher após a decisão do Tribunal Especial do Impeachment: