Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

"Foi feita a justiça", afirma a governadora Daniela

Na próxima terça, Carlos Moisés terá que transferir o cargo para sua vice, inocentada no processo de impeachment
Denis Luciano
Por Denis Luciano Florianópolis, SC, 24/10/2020 - 02:35Atualizado em 24/10/2020 - 02:43
Foto: Bruno Collaço / Agência AL
Foto: Bruno Collaço / Agência AL

"Foi feita a justiça que eu sempre esperei. Eu não esperava que essa missão viesse dessa forma, mas me cabe agora abraça-la e bem cumpri-la, cuidar bem do nosso estado, vou dar o meu melhor". Assim, Daniela Reinehr reagiu aos repórteres quando, diante de dezenas de microfones e poucos minutos depois de encerrado o voto do desembargador Ricardo Roesler, precisava assimiliar o fato histórico do qual fazia parte como protagonista.

Daniela, uma desconhecida para os catarinenses até 2018, surgiu como vice na chapa de Carlos Moisés, outro desconhecido e, na onda do bolsonarismo, tornaram-se, com votação consagradora, governador e vice. Faltou sintonia já nos primeiros meses, e houve um distanciamento. Acabaram aproximando-se, sem muito entusiasmo, nas últimas semanas, unindo forças, embora com defesas diferentes, na luta contra o impeachment.

A admissibilidade pela Assembleia Legislativa (Alesc) no dia 17 de setembro levou Moisés e Daniela para o tribunal misto. Na votação decisiva, na noite desta terça, veio o veredito: Moisés está afastado por 180 dias a partir da próxima terça-feira, 27 de outubro. Daquele dia, e pelos seis meses seguintes, caberá à vice Daniela Reinehr governar o estado interinamente.

"Hoje se prosseguiu a investigação em relação ao governador, eu abraço o estado enquanto esse processo se finda, inicia uma nova fase processual, não sei como a defesa do governador vai se portar, agora eu preciso cumprir os proclamas que vierem. A princípio é temporário, até que se decida enfim essa questão", comentou Daniela, em entrevista acompanhada pela Rádio Som Maior, ainda na Alesc, pouco depois das 2h da madrugada deste sábado, 25.

Aliada de Bolsonaro

Com Daniela, o presidente Jair Bolsonaro ganha um governador aliado em Santa Catarina. Ela deixou o PSL no ano passado, em solidariedade ao presidente, e desde então encontra-se sem partido. Ela foi questionada se o telefone já estaria tocando com um contato de Bolsonaro. "O telefone já deve estar quase tocando", respondeu.

Além de enaltecer a gana da sua equipe de defesa, Daniela salientou que trata-se de uma etapa "triste" da história catarinense. "Foi um momento triste e difícil, só tenho a agradecer à minha equipe que se esforçou muito para a gente ter êxito, em especial à defesa, dra. Karina Kufa que me abraçou, Ana Blasi, Salomão Ribas Júnior, dr. Alessandro, a minha equipe do gabinete, advogados e juristas do Brasil inteiro. Eu nunca imaginei ver tantas pessoas abraçando essa causa para me defender e defender a justiça e o bem do nosso estado", destacou a ainda vice-governadora.

Daniela não quis antecipar primeiras ações como governadora. "Agora é o momento de voltar todas as energias para o planejamento, Santa Catarina é o estado que se reergue, entra numa ascendente com maior facilidade em relação aos demais estados. Tem muitos desafios pela frente, a gente consegue rapidamente reerguer", afirmou. "É bastante cedo, é momento de sentar com a equipe e fazer planejamento", respondeu.

Comunicar melhor

Mas a vice concordou que uma das prioridades deverá ser aprimorar o diálogo do Governo do Estado, uma dificuldade enfrentada por Carlos Moisés. "Acredito que um dos melhores desafios seja criar um canal eficiente de comunicação com a Alesc, os demais poderes e a sociedade, buscando essa harmonia política que está faltando ao estado, mostrar o que Santa Catarina tem de bom, trazendo mais qualidade de vida para a nossa gente. Tem muito trabalho pela frente", argumentou.

Provocada a apontar uma cara que o governo Daniela terá, ela deu uma pista. "Acredito que o grande diferencial que eu sempre quis colocar no governo, e a grande contribuição que eu sempre quis fazer é a da eficiência, Estado enxuto, o que o cidadão quer é serviço de qualidade e eficiente", referiu. Sobre os primeiros passos, confessou estar indefinida, priorizando agora o necessário descanso. "Ainda não se te dizer, provavelmente amanhã de amanhã nos reuniremos. Agora é hora de descansar, amanhã a partir do meio dia pretendo reunir a equipe", finalizou.

Confira a repercussão completa do impeachment de Carlos Moisés na Rádio Som Maior, neste sábado, em edição especial do Programa Adelor Lessa a partir das 9h.