Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Quartel dos Bombeiros de Criciúma será demolido

No espaço, será construída a nova sede. Durante a obra, parte da companhia vai ser acomodada provisoriamente em Içara
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Criciúma, SC, 01/09/2020 - 14:47Atualizado em 01/09/2020 - 14:56
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

A nova sede do quartel do Corpo de Bombeiros de Criciúma será instalada no mesmo local em que está hoje: na rua Dolário dos Santos, 501, no Centro. Chegou a cogitar-se a mudança, mas segundo o comandante do 4º Batalhão, tenente coronel Gustavo Campos, a possíbilidade foi descartada por entraves burocráticos.

A boa notícia adiantada pelo comandante é que já há dinheiro garantido para o início das obras da nova sede. "A obra deve custar em torno de R$ 5,5 milhões a R$ 6 milhões. Já temos na conta quase R$ 2 milhões que arrecadamos e a prefeitura tem um precatório já direcionado no valor de R$ 1,5 milhão. O restante do recurso nós iremos buscar no decorrer da obra, através de nossos serviços de vistoria", adiantou Campos.

Em fevereiro de 2019 vieram à tona estudos para que o quartel fosse instalado na Avenida Centenário, próximo à Rodoviária. O plano chegou a ser levado a uma audiência pública, mas não prosperou.

Confira também - Em estudo, o quartel dos bombeiros na Avenida Centenário

Nova sede com 3,5 mil m²

Recentemente, a prefeitura de Criciúma suspendeu o edital que vai escolher a empresa que irá fazer a obra. Segundo o documento a medida foi adotada para ajustes técnicos, mas logo será lançado novamente. Após as correções e a escolha da empresa vencedora da licitação, essa terá um prazo de 120 dias para apresentar o projeto. O primeiro ponto dos trabalhos será a demolição da atual estrutura localizada no Centro de Criciúma. Ao todo, a nova sede vai ter 3,5 mil m². 

"Para economizarmos, vamos deslocar em março do ano que vem toda a estrutura administrativa para o novo quartel de Içara que deve estar concluído até lá. Porém, manteremos o trem de socorro (comboio composto por algumas viaturas, inclusive o caminhão e unidades móveis) em Criciúma. Vamos negociar espaço. Para isso faremos conversas com instituições, dentre elas, a Polícia Militar, para que possamos acomodar o serviço de urgência necessário durante os dois anos que a construção estiver em curso. Assim Criciúma não fica descoberta", afirmou o tenente coronel.

Confira também - Restam R$ 200 mil para a conclusão do novo quartel dos bombeiros em Içara

Hoje o 4º Batalhão conta com aproximadamente 55 profissionais na sede localizada em Criciúma e outros 200 bombeiros militares espalhados em municípios de cobertura da companhia.

No início de 2021 o 4º Batalhão deve trocar de comando com a saída do tenete coronel Gustavo Campos. "No ano que vem me  torno coronel, não podendo mais ficar na região. Porém até lá vou me dedicar para apresentar a maquete da nova sede à comunidade", encerrou Campos.