Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Pela primeira vitória em clássico

Entre algumas desvantagens, Tigre tem um trunfo diante do Figueirense
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 24/02/2019 - 08:55
Com Maicon e os outros dez que jogaram quinta, Criciúma tentar derrubar jejum/Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna
Com Maicon e os outros dez que jogaram quinta, Criciúma tentar derrubar jejum/Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna

O Figueirense vem de eliminação contra o Luverdense. O Criciúma, de classificação diante do Oeste. Eis a vantagem recente, via Copa do Brasil, que o Tigre carrega para o confronto deste domingo, na rodada que abre o returno da primeira fase do Campeonato Catarinense. De resto, a balança pende para os alvinegros.

“Nós não podemos ficar fora do G-4 de um Catarinense”. A lembrança do goleiro Luiz vem carregada de um preocupante alerta. “É, não ganhamos clássico esse ano”, recorda. Verdade. O Criciúma perdeu em casa para o Figueirense e fora contra Chapecoense, Avaí e Joinville. “Isso está pegando bastante”, reconhece.

Separados por nove pontos na tabela, os times vivem realidades absolutamente distintas no Estadual. O Figueirense, líder, está invicto, com seus 18 pontos. O Criciúma, sexto com nove, tem apenas três de vantagem para a zona de rebaixamento. Mas o confronto deste domingo no Orlando Scarpelli – outra das várias vantagens do Figueira – pode ser um divisor de águas. “Depois, teremos três jogos em casa. É a chance de fazer nove pontos contra Hercílio Luz, Marcílio Dias e Chapecoense, chegar no G-4 e pensar na semifinal”, calcula.

Astral positivo

Foi em clima mais leve a reapresentação desta sexta-feira, após a dramática passagem à terceira fase da Copa do Brasil. “A gente não pode agora deixar a empolgação levar e chegar no dia do jogo e ser surpreendidos por nós mesmos”, adverte Luiz. Por isso, o apronto da manhã deste sábado não deve representar maiores surpresas.

É bem provável que o técnico Doriva mantenha a base do time que jogou na quarta. Maicon joga na lateral. Ele saiu por cansaço contra o Oeste, mas está em condições. De mais a mais, o reserva, Carlos Eduardo, cumpre suspensão, depois da expulsão no domingo passado em Joinville. O atacante Ceará, recuperado de desconforto muscular, está à disposição.

Eliminação pesou

Mistério total no Figueirense. O técnico Hemerson Maria define o time no treino deste sábado. O zagueiro Alemão, que se recupera de lesão, segue fora. A tendência, a exemplo do Tigre, é de repetição da equipe que atuou e, no caso alvinegro, foi desclassificada da Copa do Brasil.

“Segue a luta. Estamos tristes, chateados, era uma competição que a gente via com bons olhos”, aponta o volante Zé Antônio. “Precisamos virar a chave. A gente defende a liderança, é mais um clássico”, emenda. “Estamos defendendo o título. Queremos ficar em primeiro ou segundo para decidir em casa”, completa o treinador. “O clima de tristeza não pode virar depressão”, conclui.

 

Figueirense – Denis, Kauê, Ruan Renato, Pereira e Matheus Destro, Zé Antônio, Patrick e Betinho, Alípio, William Popp e Matheus Lucas – Técnico: Hemerson Maria

Criciúma –  Luiz, Maicon, Federico Platero, Sandro e Marlon, Zé Augusto, Eduardo e Daniel Costa, Reis, Julimar e Andrew – Técnico: Doriva

Arbitragem – Rafael Traci, com Kléber Lúcio Gil e Thiago Americano Labes.

Local – Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Quando – Hoje, às 17h.