Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Os esforços de Kleina e Dal Farra para o acerto

João Carlos Maringá contou na Som Maior detalhes da contratação do novo técnico pelo Criciúma
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 13/03/2019 - 22:33Atualizado em 13/03/2019 - 22:36
Foto: Daniel Burigo / A Tribuna
Foto: Daniel Burigo / A Tribuna

O clima é de muita expectativa no Criciúma. A contratação do técnico Gilson Kleina, efetivada nesta quarta-feira, é encarada como o grande salto para uma arrancada já pensando no Campeonato Brasileiro. "Desde o primeiro momento que eu conversei com o presidente, a gente tinha alguns nomes na mesa mas foi uma unanimidade na diretoria e uma vontade minha também de trazer o Gilson. Trabalhei com ele na Chapecoense, tivemos uma campanha super vitoriosa", contou o diretor executivo de futebol João Carlos Maringá, que participou do Ponto Final da Rádio Som Maior nesta quarta-feira.

Ele lembra o grande trabalho que fizeram juntos na Chapecoense. Recordou que, quando Gilson Kleina foi contratado, o time arrancou de um lugar próximo da zona do rebaixamento para uma vaga na Taça Libertadores. "E repetiu depois na Ponte Preta, estava a sete pontos do G-4 e só não subiu para a Série A por um gol".

Maringá ressalta que havia um desejo mútuo pelo acerto. "O Gilson era um esforço antigo. Ele recebeu propostas de todos os maiores times da Série B, algumas de Série A, mas o presidente fez um esforço enorme, o Gilson com certeza também fez um esforço para vir, e só foi possível por causa disso. E por ter trabalhado aqui, ter sido praticamente o primeiro clube dele, e a minha vinda também influenciou. Tínhamos opções com valores inferiores mas o presidente quer muito que o Criciúma volte a vencer, então ele trouxe um treinador vencedor", observou.

No salário de Kleina no Criciúma constam premiações por alcance de metas, como a conquista de um acesso à Série A. O contrato vai até o fim de novembro. O treinador deve chegar nesta quinta-feira e possivelmente acompanha treinamentos, devendo colaborar para a escalação do time que encara o Atlético Tubarão no domingo, pelo Campeonato Catarinense. Mas o auxiliar Wilson Vaterkemper ainda comandará a equipe, mas com a provável presença do novo técnico no estádio. "O Gilson já começou a pedir informações do time, pegou três ou quatro jogos para assistir, já tem noção do grupo que tem em mãos", apontou Maringá.

O diretor executivo revelou a quantidade de reforços que deverão vir nas próximas semanas para o Brasileiro. "Vamos precisar de seis a sete jogadores pois vamos jogar um campeonato longo, a logística do Criciúma é bem difícil", completou.

João Carlos Maringá vai participar do Debate Aberto desta quinta-feira a partir das 12h na Rádio Som Maior. Ouça a entrevista do diretor executivo ao Ponto Final no podcast abaixo.