Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Organização criminosa com atuação em 4 estados tinha ramificação em Imbituba

As Operações "Conexão Alvorada" e "Ouro Negro", do GAECO, cumprem 48 mandados de prisão e 116 mandados de busca e apreensão
Redação
Por Redação Florianópolis, SC, 06/05/2021 - 08:20Atualizado em 06/05/2021 - 10:01
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas  de Santa Catarina (GAECO), com a colaboração da Polícia Civil e Polícia Militar catarinenses, da Polícia Rodoviária Federal e com o apoio do GAECO do Rio Grande do Sul, Brigada Militar e Polícia Civil gaúchas, desencadeou, na manhã desta quinta-feira (6/5), as operações "Conexão Alvorada" e "Ouro Negro". Ao todo estão sendo cumpridos 116 mandados de busca e apreensão, 48 de prisão temporária, além de ordem judicial de indisponibilidade de bens no valor de aproximadamente R$ 1.620.000,00 (um milhão, seiscentos e vinte mil reais).

A operação  "Conexão Alvorada"  tem por objetivo o combate de uma organização criminosa responsável pelo tráfico interestadual de entorpecentes na região sul do país. Os trabalhos tiveram início em meados do ano de 2019, por ocasião do recebimento de denúncia de que motoristas de transporte de cargas rodoviárias, residentes em São Miguel do Oeste e cidades próximas, estariam carregando grandes quantidades de entorpecentes na região de Ponta Porã/MS.

As investigações indicam a existência do esquema criminoso, apontando que as drogas eram transportadas para a região do litoral de Santa Catarina e, principalmente, para a região metropolitana de Porto Alegre/RS, tendo seu núcleo operativo principal de distribuição situado na cidade de Alvorada/RS.

O trabalho investigativo culminou com a identificação de embarcadores, motoristas de caminhão e vendedores de entorpecentes, resultando na expedição de 48 mandados de prisão temporária e 96 mandados de busca e apreensão, além de ordem judicial de indisponibilidade de bens dos motoristas indiciados na cifra de aproximadamente R$ 1.620.000,00 (um milhão, seiscentos e vinte mil reais).

A Força Tarefa está cumprindo os mandados em:

- Santa Catarina, nas cidades de São Miguel do Oeste, Descanso, Belmonte, Palhoça e Imbituba; 

- Paraná, nas cidades de Capanema e Ivaiporã; 

- Mato Grosso,  em Sinop. 

- Rio Grande do Sul, em Alvorada, Porto Alegre, Viamão, Novo Hamburgo, Canoas, Charqueadas, Gravataí, Erechim e Capela de Santana.

OPERAÇÃO OURO NEGRO

A operação Ouro Negro, cujas ordens são da Justiça Federal, visa combater o crime de descaminho, caracterizado, no caso, pelo ingresso irregular no Brasil de pneus de origem estrangeira, sem o necessário desembaraço aduaneiro. O GAECO obteve informações de que um grupo de pessoas estava envolvido com esquema criminoso, que consistia na aquisição reiterada e sistemática de pneus no Paraguai, introduzindo-os no Brasil com o objetivo de revenda em diversas cidades da região extremo oeste de Santa Catarina e inclusive no Estado do Rio Grande do Sul.  Diante disso, foi elaborado relatório com os dados obtidos, remetendo-o ao Ministério Público Federal que representou judicialmente para obtenção de ordem de busca e apreensão. Ao todo foram expedidos 20 mandados, sendo eles cumpridos nas cidades de São Miguel do Oeste/SC, Descanso/SC, Xaxim/SC, Xanxerê/SC, Tunápolis/SC, Capanema/PR, Iraí/RS e Bom Jesus/RS.

O GAECO é uma força-tarefa composta pelo Ministério Público de Santa Catarina, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Secretaria da Fazenda estadual.

SALA DE SITUAÇÃO

No 15º andar da sede do MPSC, em Florianópolis, está a sala de controle que dá apoio aos policiais que estão na linha de frente cumprindo os mandados. Há também uma base em São Miguel do Oeste e outra na sede da Procuradoria-Geral de Justiça no Rio Grande do Sul.  

As operações estão sendo conduzidas pela Coordenadora do Grupo Regional do GAECO de São Miguel do Oeste, Promotora de Justiça Marcela de Jesus Boldori Fernandes, e pelos coordenadores estadual, Promotor de Justiça Alexandre Graziotin, e estadual adjunto, Promotor de Justiça Márcio Cota, do GAECO de santa Catarina.