Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Exclusivo

O MDB está governista demais, reclama Eduardo

Ex-governador reúne-se com lideranças em Criciúma, onde trata de lançamento de candidato do partido na cidade em 2020
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 29/11/2019 - 18:28Atualizado em 30/11/2019 - 12:39
Fotos: Vitor Netto / 4oito
Fotos: Vitor Netto / 4oito

O alinhamento entre a bancada do MDB na Assembleia Legislativa (Alesc) - cujo líder é o criciumense Luiz Fernando Vampiro - e o governador Carlos Moisés (PSL) não tem agradado ao inquilino anterior do Palácio d´Agronômica. "Eu acho", respondeu Eduardo Pinho Moreira (MDB) quando questionado sobre o MDB estar governista demais.

"E foi algo que saiu da própria bancada, sem discussão. Eu disse na terça passada que votar com o governo, tem que existir, eu apoio isso, conseguir recursos para as regiões faz parte do processo. Respeito e estimulo", afirmou o ex-governador, em visita à Rádio Som Maior nesta sexta-feira, 29. "Mas apoiar integralmente, em defesas veementes, é um comprometimento desnecessário. Até porque ele foi adversário do MDB, até votamos nele pois Gelson Merísio era um adversário maior. Mas esse comprometimento está desnecessariamente aumentado. Deve votar os projetos importantes mas sem esse envolvimento político com o governador que certamente será nosso adversário em 2022. O MDB terá candidato", apontou.

Sobre o governo Carlos Moisés, Eduardo entende que ele colhe muito do que foi plantado na gestão emedebista no ano passado. "Ele está colhendo muita coisa que nós plantamos, tanto o Raimundo quanto eu. Nós preparamos o governo para 2019 ser mais fácil. No dia 28 de dezembro do ano passado eu assinei os decretos que permitiram ao governo ter receita de quase R$ 3 bilhões a mais em 2019", comentou.

O ex-governador criticou as recentes políticas de Carlos Moisés sobre incentivos fiscais, em especial para a agricultura, mas mencionou aspectos positivos de seu governo - como nomes da equipe passada que foram mantidos -. "Isso aí eu fui cobrar do secretário Paulo Eli (os incentivos fiscais cortados). Mas nós preparamos o Estado, a criminalidade estava caindo, tanto que o atual secretário de Segurança era o meu comandante da Polícia Militar. O diretor geral do IGP era o meu diretor geral do IGP. Mostra que nós estávamos no caminho certo pois o Moisés manteve diversas pessoas em postos-chave", salientou. Moreira citou a "falta de realizações do atual governo". "Ele usa bem as redes sociais mas até agora não há realizações do governo dele. A Jorge Lacerda, por exemplo, é um compromisso, e as inaugurações que ele faz são as que iniciamos no ano passado", emendou.

Eduardo Moreira em entrevista a Adelor Lessa na Som Maior

Como o MDB se projeta?

O MDB terá candidato a prefeito em Criciúma em 2020. Ao menos nos planos de Eduardo Moreira. "Estive conversando com os líderes em Criciúma para ter candidato em Criciúma. Aqui tem geração de TV, será regional e importante para mostrar as nossas realizações", frisou, citando um encontro realizado nesta sexta entre emedebistas criciumenses.

Para o ex-governador, o melhor nome do partido para a prefeitura em Criciúma era o do deputado estadual Luiz Fernando Vampiro. "Este é o problema. Eu tenho dito que o candidato natural seria o deputado Vampiro, segundo mandato, homem maduro, foi secretário de Infraestrutura, foi secretário regional, tem todas as condições políticas, pessoais e profissionais de ser um bom prefeito. Mas como ele não tem essa intenção, estamos em busca de outras alternativas", comentou. "Estou defendendo que tenhamos uma pesquisa em Criciúma que avalie as potencialidades, necessidades, pontos positivos e negativos dos possíveis adversários, trabalho em cima de dados técnicos. Com certeza teremos candidatura", explanou.

Moreira reconhece um certo distanciamento entre ele e o deputado Vampiro. "Houve um distanciamento, isso é evidente, e eu não entendi direito. Claro que eu converso com ele, na semana passada eu almocei com os deputados na Alesc, falamos do MDB estadual, a relação com o governo, todas essas condições políticas. Mantenho essa relação mas houve distanciamento, não sei identificar a razão", frisou.

Em nível regional e estadual, Moreira vê com otimismo a chance de lançamento de várias candidaturas. "Há uma tendência do MDB de lançar o maior número possível de candidatos a prefeito em Santa Catarina. Temos 295 municípios, o MDB historicamente lança mais de 200 candidatos, e hoje detemos 102 prefeituras, sendo de longe o maior partido. E essa é a nossa pretensão, continuar sendo o maior partido de Santa Catarina", destacou. "Aqui, nós teremos candidatos em praticamente todos os municípios. É nesse sentido que estou trabalhando", finalizou.