Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Normalização do abastecimento de água sem hora definida

Previsão é para o decorrer deste sábado. Equipe da Casan segue reparando adutora que rompeu nesta madrugada, na Barragem do Rio São Bento
Por Fagner Santos Criciúma, SC, 30/11/2018 - 14:13Atualizado em 30/11/2018 - 14:49
Equipe segue nos reparos. - Foto: reprodução
Equipe segue nos reparos. - Foto: reprodução

Os municípios de Criciúma, Nova Veneza, Forquilhinha, Maracajá, Siderópolis e parte de Içara só terão o abastecimento de água normalizado ao longo deste sábado (1). Pela incerteza do nível de consumo a ser recebido amanhã, não existe um horário para que a rede esteja operando normalmente. A adutora de água bruta da Barragem do Rio São Bento que se rompeu nesta madrugada segue sendo reparada pela equipe da Casan.
A troca da tubulação avariada já foi realizada, e os técnicos agora seguem apertando as luvas de encaixe do equipamento. “O procedimento dura entre uma e duas horas”, explica o superintendente da Casan, Vilmar Bonetti. Também estão sendo realizados os acabamentos finais para a liberação do uso da adutora.

“Vamos, então, abrir os registros para encher as tubulações, que estão vazias agora”, disse Bonetti. Este procedimento leva em torno de duas horas, pela alta pressão dos canos, de 130 metros de coluna d’água. “Tem que fazer tudo aos poucos, como fechar e abrir os registros”, explica.

O tubo despeja 1,1 mil litros por segundo na rede. “A previsão é que tudo esteja pronto para operar normalmente pelas 17h”, estima. Duas horas após a previsão inicial. "A chuva atrasou em algumas horas o serviço", comenta Bonetti. Então, a água segue para a estação de tratamento do São Defende e está novamente dentro da rede de abastecimento.

Até agora, não faltou água

Os reservatórios de água, cheios até o rompimento da adutora, garantem com que a falta de água não seja sentida pela população. “Ao menos não tivemos registros de falta em nenhuma localidade, mas pode sim acontecer”, enfatiza o superintendente. Agora vazios, esperam pela abertura dos registros, e só serão completamente cheios amanhã, ao longo do dia. 

É ai que entra a importância das caixas d’água. “Quem tem uma de mil ou 1,5 mil litros provavelmente não vai ficar sem água”, coloca Bonetti. Também não existem chances de novos problemas durante o concerto da adutora. “Não tem como surgir outro acaso dali, é tudo feito dentro do procedimento padrão e resta apenas dar tempo para que tudo se normalize”, conclui.