Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Moisés é notificado sobre abertura do processo de impeachment e se manifesta (vídeo)

Governador destacou ser um momento inapropriado para execução do processo
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Florianópolis - SC, 30/07/2020 - 16:37Atualizado em 30/07/2020 - 16:59
Foto: divulgação
Foto: divulgação

O governador Carlos Moisés da Silva foi notificado formalmente às 15h20 sobre a abertura de processo de impeachment pela Assembléia Legislativa.

A notificação foi entregue pelo primeiro-secretário da Assembleia, deputado Laércio Schuster (PSB).

O secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca, que também é alvo do pedido de impedimento, assim como a vice-governadora Daniela Reinehr (PSL), também foram notificados.

O documento foi entregue para Moisés e Tasca no Centro Administrativo do governo do Estado. Em seguida, a comunicação à vice-governadora foi entregue na residência oficial, na região continental de Florianópolis.

Logo que foi notificado, o Governador se manifestou sobre a abertura do processo de imprechment.

Em um vídeo publicado no site oficial do Governo do Estado, Moisés disse ter respeito pelos deputados, mas afirmou ser um momento inadequado para o processo.

“Respeito a Assembleia Legislativa e todos os seus deputados. Lamento a decisão do presidente Júlio Garcia de recepcionar esse processo num momento tão inadequado, em meio a pandemia, e também sem fundamento jurídico. Não há nem participação do governador e nem da vice-governadora nesse processo, e isso já está atestado pelos órgãos de controle, Ministério Público e Tribunal de Contas”, disse Moisés.

Confira também - Alesc acolhe pedido de impeachment do governador Moisés

O governador ainda ressaltou que continuará trabalhando por SC, tendo ainda como foco o enfrentamento a pandemia de Covid-19. “Cuidando da economia, dos catarinenses e do emprego das pessoas. A importância da nossa atuação se faz através do dia-a-dia, dos resultados que apresentamos para os catarinenses, da economia que fazemos nos cofres públicos, e é isso que vamos continuar fazendo, lutando por Santa Catarina”, concluiu.

O pedido de impeachment acolhido pela Alesc nesta quinta foi formulado e protocolado pelo defensor público Ralf Zimmer Júnior, e tem como base o aumento indevido do salário dos procuradores do estado, feito de forma administrativa.