Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Mesquita pronto para pegar o Caravaggio

Técnico diz que time irá jogar de igual para igual contra o adversário
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 29/08/2018 - 11:00
Técnico fala em ter pés no chão no campeonato para fazer boa campanha / Foto: Daniel Búrigo/Arquivo/A Tribuna
Técnico fala em ter pés no chão no campeonato para fazer boa campanha / Foto: Daniel Búrigo/Arquivo/A Tribuna

O Mesquita, time de Araranguá, é mais um dos dez times que irão disputar o título do Campeonato Regional da Liga Atlética da Região Carbonífera (Larm). O primeiro desafio será um grande teste para a equipe. O clube abre o calendário enfrentando o Caravaggio, no Estádio da Montanha, em Nova Veneza. Mesmo com investimentos inferiores ao do adversário, o treinador Cleder Maciel garante que o time vai jogar de igual para a igual.

“Nosso andamento no campeonato é passo a passo. Primeiro vamos nos preocupar em não cair. Mas quem não quer ir pra segunda divisão tem que jogar mais do que quem chegar ao título. Então não vamos nos acovardar e vamos pra cima de todos os adversários, independente de quem seja”, afirmou Maciel.

Atualmente o elenco do Mesquista possui 20 atletas. “É uma mistura de jogadores experientes com alguns jovens”, detalhou o técnico. “Estou confiante em minha equipe”, acrescentou.

Uma equipe com preparo físico

A diferença de investimentos em relação aos adversários, o Maciel espera tirar dentro de campo. A aposta está condicionamento físico do time. Para conseguir manter o bom nível de futebol durante os 90 minutos de partida, a equipe tem treinado duas vezes por semana. “É, sim, um time montado com pouca verba. Mas queremos fazer um bom campeonato. O campeonato requer um grande preparo físico e é nisso que temos trabalhado”, alegou o técnico.

Se o time avançar para a segunda fase, ele não descarta a possibilidade de novas contratações. As tratativas, inclusive, já estão encaminhadas. “Primeiro é ter os pés no chão e não prometer mais do que não podemos cumprir. Depois vemos como proceder”, finalizou Maciel.