Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mazola Júnior diz que atletas não podem ficar abatidos e precisam mostrar força

Técnico do Criciúma esteve no Debate Aberto, onde falou sobre a responsabilidade de salvar o Tigre
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 28/05/2018 - 15:16Atualizado em 28/05/2018 - 15:29

Anunciado pelo Criciúma como treinador no dia 12 de maio, Mazola Júnior comandou a equipe em dois jogos, empatando em casa na estreia contra o Juventude e perdendo para o Fortaleza fora de casa. Nesta segunda-feira (28) ele participou do Debate Aberto, da Rádio Som Maior onde falou sobre como enfrenta o atual momento do clube na Série B.

“Eu quero ser e devo ser responsabilizado a partir do dia 13 desse mês, quando começamos nosso trabalho aqui. Nós temos uma metodologia de trabalho e de treinamento que inclui sim o campo aberto, com todas as situações que vão acontecer no jogo. O coletivo hoje virou um espelho do jogo”, disse.

Mazola contou que conhecia por nome alguns jogadores, mas que é preciso um período maior para identificar as reais características dos atletas. O treinador afirmou que fez alguns sacrifícios pessoais para estar aqui. Ele acredita que o Tigre consiga escapar do Z4 e também comentou a questão psicológica.

“Eu encaro a situação como a parte psicológica, você que está nessa situação, precisa ter força mental e física. Abatimento não mostra a força que precisa ter para jogar essa competição. O atleta que joga essa competição tem que estar preparado e não terceirizar a culpa”, analisou.