Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Maconha, a nova 'commodity" no mercado brasileiro

Primeiro fundo brasileiro baseado na canábis será lançado nesta terça-feira com meta de captação de R$ 100 milhões
Arthur Lessa
Por Arthur Lessa São Paulo / SP, 29/10/2019 - 08:58Atualizado em 29/10/2019 - 08:58

Ainda proibida no Brasil, a canábis tem indústria legal em diversos países e, seguindo tendência mundial, estreia nesta terça-feira (29) no mercado financeiro brasileiro.  Segundo matéria do Valor Investe,  a nova opção chega com o lançamento do fundo Vitreo Canabidiol FIA IE, o primeiro do país voltado para esse mercado.

O fundo investirá no mercado financeiro dos EUA e do Canadá, inicialmente com dois terços em ETFs (Exchange Traded Funds, fundos negociados em bolsa) e um terço em ações de cinco a seis companhias.

George Wachsmann, sócio e chefe de gestão da Vitreo, explica que a estratégia de deixar a maior parte da carteira exposta a ETFs é a de apostar como um todo nesse mercado que, segundo ele, está no começo de um potencial ciclo de crescimento grande. Segundo a Vitreo, existem hoje mais de 100 companhias do setor com ações listadas em bolsa.

Ascensão

A indústria legal de canábis, popularmente conhecida como maconha, movimentou US$ 12 bilhões em todo o mundo no ano passado, segundo a Euromonitor. Com a legalização da planta em diversos países, seja para uso medicinal, cosmético ou recreativo, a previsão do mercado é que esse segmento movimente US$ 166 bilhões por ano até 2025.