Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

JEC marca duas vezes no comecinho e bate o Tigre

Partida teve paralisação de 32 minutos antes do segundo tempo
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 17/02/2019 - 19:25Atualizado em 18/02/2019 - 06:41

Cinco derrotas e três vitórias, essa é a campanha do Criciúma no Campeonato Catarinense. Dessa vez o tropeço aconteceu contra o Joinville, longe do Heriberto Hülse, time que não tinha vencido na temporada. A equipe da casa marcou dois gols com menos de 15 minutos e garantiu a vitória. A chuva foi constante ao longo do jogo, assim como nos outros confrontos da rodada, a partida foi paralisada por 32 minutos após o intervalo.

Com oito rodadas completas no estadual, o Criciúma perdeu uma posição, descendo para o sexto lugar. O time de Doriva conquistou até aqui 9 pontos, com seis gols marcados e nove sofridos. Na próxima rodada, a última do primeiro turno, o Tigre não entra em campo já que tem jogo pela Copa do Brasil contra o Oeste, então o próximo jogo no Catarinense é contra o Figueirense, no outro fim de semana.

Início sofrido para o tricolor do Sul

Assim que a bola começou a rolar na Arena Joinville, o time da casa foi para cima e abriu o placar logo aos 3 minutos de jogo. O meia Robert recebeu grande lançamento entre os zagueiros do Criciúma, passou pelo goleiro Luiz que ficou no chão e marcou o primeiro gol do JEC. A equipe que ainda não havia vencido na temporada continuou atacando.

Não demorou e o placar foi ampliado. Com 12 minutos um cruzamento preciso para dentro da área e uma cabeçada certeira de Hugo Almeida, que nada tem relação com aquele português, resultou no segundo gol do Joinville. Oito minutos depois os mandates tiveram outra chance, após bate-rebate dentro da área, dessa vez sem muito perigo.

O primeiro tempo continuou movimentado, com o Criciúma tentando reagir no placar. Primeiro aos 24 minutos, onde foram duas tentativas, Marlon carimbou a barreira, pegou o rebote e mandou pela linha de fundo. Aos 27 e aos 28 o Tigre chegou novamente, sem perigo para o goleiro Jefferson. Enquanto isso a chuva não dava trégua na maior cidade do estado.

A pressão do Criciúma deu certo. Aos 41 minutos Daniel Costa cruzou para dentro da área, Sandro subiu alto e mandou a bola para o fundo do gol. Ainda na primeira etapa o time carvoeiro chegou de novo, com Caíque, que chegou próximo da área e tentou o passe, errando. Com um minuto de acréscimo, as equipes foram para o intervalo sem a certeza de que voltariam para terminar o jogo ainda no domingo.

As placas para tirar a água

Antes de voltarem para o segundo tempo, a paralisação foi de 32 minutos, fora o tempo de intervalo. No lado esquerdo empoçou uma certa quantidade de água, que foi retirada com a utilização de placas de publicidade, até o árbitro da partida, Célio Amorim, contribui com a missão. Praticamente sem água, restaram algumas poças isoladas pelo gramado.

Pouca criatividade na segunda etapa

Doriva mexeu no time e colocou Bortoluzo no lugar de Caíque. Aos 5 minutos Reis invadiu a área e se chocou com o goleiro, ficando caído no gramado, o árbitro mandou seguir. Aos 14 foi a vez do JEC atacar, obrigando Luiz a fazer boa defesa para evitar o terceiro gol dos donos da casa.

O Criciúma criou uma ótima oportunidade aos 23 minutos, com Marlon cruzando para a área e Jefferson fazendo a defesa. Se já estava difícil no 11 contra 11, ficou ainda pior após Carlos Eduardo receber cartão vermelho por cometer uma falta violenta. O jogo seguiu truncado, também devido a água no gramado da Arena Joinville.

A expulsão não comprometeu muito para o Criciúma, que seguiu buscando o empate, principalmente através de cruzamentos para a área, todos sem sucesso. Aos 43 o Tigre quase conseguiu empatar, Daniel Costa acertou a trave após um belo chute, a bola foi para escanteio, na sequência Bortoluzo cabeceou para fora. Fim de jogo, Joinville 2 x 1 Criciúma.

JOINVILLE

Jefferson; João Ananias, Marlon, Luan (Léo Coltro) e Tiago Costa; Leandro Bulhões, Erick Daltro (Edu), Robert (Rodrigo Figueiredo) e Caíque; Hugo Almeida e Nathan Cachorrão.

CRICIÚMA

Luiz; Carlos Eduardo, Sandro, Federico Platero e Marlon; Jean Mangabeira, Eduardo e Daniel Costa; Julimar (Andrew), Caíque (Pedro Bortoluzo) e Reis (Reinaldo).