Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Gestão forte da cultura e sem gastos públicos

Novo presidente da FCC, Júlio Lopes tem projeto de criação de uma cooperativa para o turismo
Por Bruna Borges Criciúma, SC, 27/03/2019 - 08:42
Fotos: Daniel Búrigo / A Tribuna
Fotos: Daniel Búrigo / A Tribuna

A Fundação Cultural de Criciúma (FCC) tem novamente um presidente oficial. Pela quarta vez no cargo, Júlio Lopes assumiu o posto em posse realizada na tarde de ontem, no Salão Ouro Negro do Paço Municipal Marcos Rovaris. O ato que oficializa Lopes no cargo foi assinado durante a cerimônia pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), e pelo secretário-geral de Governo, Arleu da Silveira, que estava à frente da FCC nos últimos quatro meses. 

Em sua última passagem pela fundação (2015/2016), Lopes teve como marca de sua gestão a realização de edições com recorde de público na Festa das Etnias, que teve shows nacionais e a presença de grupos de dança como o do Balé Bolshoi. O desfile de Natal, que ocorreu no Centro de Criciúma, também marcou a sua passagem pela FCC.

Em seu discurso de posse, ontem, ele, mais uma vez, citou que terá como um de seus focos a promoção de eventos, mas pontuou que eles não significarão despesas para o Município. “Nós vamos fazer uma cultura objetiva para onerar menos o Estado”, disse Lopes. 

“Vamos realizar eventos com parceiros de risco e 20% dos recursos vão para o Fundo de Cultura, para diminuir o repasse da Prefeitura, e os outros 80% vão para os parceiros de risco. Não usaremos recursos públicos para eventos”, acrescentou. 

Ex-presidente da FCC e secretário de Governo, Arleu da Silveira

Ele ainda fez questão de chamar os membros do Conselho de Cultura para que se posicionassem ao seu lado e comentou que o trabalho na fundação será realizado em conjunto. “Quero deixar claro que nós vamos administrar a FCC. Eles e eu, eu e eles”, declarou. 

Atrações artísticas

A posse de Júlio Lopes na FCC não contou apenas com o ato burocrático da assinatura do termo. Para recepcionar os convidados, atrações artísticas foram realizadas no hall da prefeitura. 

A Cia de Dança da Unesc participou com a coreografia ‘Amada Espanha’, enquanto, no Salão Ouro Negro, o Coral Criança Feliz abriu a cerimônia ao som de ‘Amigos para sempre’. A Banda Cruzeiro do Sul executou o Hino Nacional e exposições do Museu de Zoologia da Unesc e de artesanatos também fizeram parte do ato.

O prefeito destacou que aquela atmosfera alegre era contagiante e comentou a importância de uma cultura forte no município. “Uma cidade boa para se viver tem que respirar cultura. Merecemos uma cultura extraordinária”, disse Salvaro. 

Ao apresentar algumas de suas ideas, Lopes também falou que dedicará a sua experiência para o cargo. “Tenha a certeza, prefeito, de que não irei desapontá-lo. Vamos ver quem de nós dois trabalha mais”, afirmou. 

Cooperativa do turismo

Outro projeto adiantado pelo novo presidente em seu discurso foi o de alavancar o turismo da cidade e, consequentemente, da região. A ideia, segundo Lopes, é criar uma cooperativa para o setor.

“Nós vamos criar a Cooperturismo, uma cooperativa que eu acredito que vá virar um modelo para todo o Estado de Santa Catarina. Vamos unir forças com hotéis, bares, restaurantes, eventos e vamos todos juntos colher bons frutos”, relatou.

Para ele, investir no turismo é uma maneira eficaz de estimular a economia da cidade. “O turismo é uma indústria verde, ela não tem chaminé. E é o turismo a saída para a nossa economia. Muitos já diziam isso há anos, mas parece que até agora só Gramado entendeu”, afirmou Lopes, referindo-se à cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul.