Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Eles querem escolas abertas, independente da pandemia

Já são 23 deputados assinando projeto favorável às aulas presenciais em Santa Catarina
Denis Luciano
Por Denis Luciano Florianópolis, SC, 26/11/2020 - 16:21Atualizado em 26/11/2020 - 16:23
Deputado Bruno Souza / Divulgação
Deputado Bruno Souza / Divulgação

Grande parte do mapa de Santa Catarina está tingido de vermelho na matriz de risco. O que isso significa? São 13 das 16 regiões em estado gravíssimo para contaminação pelo coronavírus. Entre as muitas atividades comprometidas nesse estágio encontra-se a educação. Mas um grupo de deputados estaduais está levando adiante um projeto que visa tornar a educação uma atividade essencial e, com isso, manter as escolas abertas, em funcionamento, independente do nível da pandemia de Covid-19.

"Os deputados não vão mais esperar, está na hora de abrir as escolas", afirmou o deputado Bruno Souza (Novo), proponente do projeto que já conta com 23 assinaturas de apoio e foi protocolado nesta quarta-feira, 25, na Assembleia Legislativa (Alesc). "Estamos em um momento crucial. Ou somos firmes e abrimos as escolas ou colocamos em risco toda uma geração de jovens catarinenses", defendeu. "Em uma decisão conjunta com outros parlamentares, decidimos que vai ser a primeira opção, vamos revogar os decretos que proíbem as aulas e tornar educação uma atividade essencial", emendou o parlamentar.

Para Bruno, existem provas da necessidade de manter as escolas abertas mesmo no período crítico da contaminação pelo coronavírus. "Temos os estudos, temos os exemplos de outros países. Agora é hora de colocar isso em prática", argumentou. Sobre a determinação da Justiça, conquistada nesta semana pelo Governo do Estado, de reabertura das escolas em regiões de nível grave na matriz de risco, Bruno Souza respondeu "o melhor seria desvincular a educação do mapa de risco e tratar a educação como ela devia ser, essencial". 

Abaixo, a lista dos deputados que assinam o projeto:

Bruno Souza (Novo)
Mauricio Eskudlark (PL)
Sargento Lima (PSL)
Milton Hobus (PSD)
Marlene Fengler (PSD)
Jessé Lopes (PSL)
João Amin (PP)
Nilso Berlanda (PL)
Ana Campagnollo (PSL)
Dirce Heiderscheidt (MDB)
Ismael dos Santos (PSD)
Moacir Sopelsa (MDB)
Sergio Motta (Republicanos)
Romildo Titon (MDB)
Coronel Mocelin (PSL)
Jerry Comper (MDB)
Marcos Vieira (PSDB)
Kennedy Nunes (PSD)
Jair Miotto (PSC)
Laércio Schuster (PSB)
Nazareno Martins (PSB)
Felipe Estevão (PSL)
Ana Paula da Silva, Paulinha (PDT).