Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS INFORMAÇÕES DAS ELEIÇÕES 2024!
Branded Content

Dica de Bolso: lembre o que fevereiro ensinou sobre finanças pessoais

Renda fixa? Fundos imobiliários? Quadro aborda temas de forma acessível
Por DICA DE BOLSO | BRDE 29/02/2024 - 17:05 Atualizado em 29/02/2024 - 17:09 * Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Foto: Joel Santana/Pixabay
Foto: Joel Santana/Pixabay

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

Fevereiro passou e o Dica de Bolso , mais uma vez, trouxe informações úteis a qualquer pessoa interessada em cuidar bem do próprio dinheiro, evitar prejuízos e conciliar bem os riscos e os potenciais de retornos. A iniciativa é uma realização da Som Maior Comunicação em parceria entre o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), com apresentação do jornalista Arthur Lessa.

Lembre os conceitos abordados ao longo do mês:

O que a redução da Taxa Selic influencia no dia a dia?

Arthur Lessa aborda a influência da redução da taxa Selic no cotidiano. Explicando que a Selic é a base para as taxas de juros oferecidas pelas instituições financeiras, ele detalha como a queda impacta desde o custo de empréstimos até o incentivo para investimentos, afetando diretamente a economia pessoal e empresarial. A redução incentiva menores juros para empréstimos e pode levar à diminuição dos custos de produção e serviços, além de fomentar a retomada de investimentos.

Renda fixa ou não tão fixa?

Aqui, o Dica de Bolso explora as nuances da renda fixa, enfatizando que, apesar do nome, esse tipo de investimento pode apresentar variações no retorno. Arthur Lessa frisa que, ao investir em títulos como CDBs, o retorno é previsível se o investimento for mantido até o vencimento. No entanto, a venda antecipada do título pode resultar em ganhos ou perdas, dependendo das flutuações do mercado. É fundamental entender as condições de mercado para investidores mais ativos.

Carência e liquidez na renda fixa: entenda a diferença

Neste artigo, o quadro desvenda a confusão comum entre os termos "carência" e "liquidez" em investimentos de renda fixa, especialmente diante das recentes mudanças nas regras de investimentos em LCIs, LCAs, CRIs e CRAs. Arthur Lessa explica que a carência é o período inicial em que o investidor não pode movimentar seu capital, enquanto a liquidez refere-se ao tempo necessário para efetivar um saque após a solicitação. Lessa aconselha os investidores a optarem por investimentos que atendam às suas necessidades de acesso aos recursos.

Qual o melhor investimento para faturar uma renda extra todo mês?

Arthur Lessa discute estratégias para gerar renda passiva, destacando os fundos imobiliários como uma opção atrativa devido à capacidade de proporcionar pagamentos mensais semelhantes a aluguéis. Ele detalha como a reinversão dos rendimentos e aportes mensais podem acelerar o crescimento da renda passiva, utilizando exemplos práticos para ilustrar o potencial de retorno. Lessa também menciona os fundos imobiliários de papel, uma alternativa um pouco mais complexa, mas atrativa para investidores mais experientes.

Copyright © 2022.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito