Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Coronel Cabral e o curioso caso de André do Rap

Comentário desta quinta-feira, trata da libertação do líder do PCC
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 15/10/2020 - 13:41

“André do Rap vazou, deu no pé, vazou, escafedeu”. Assim começa o comentário de Coronel Cabral desta quinta-feira, 15, na Rádio Som Maior. Em linhas gerais, ele conta como o suposto líder do PCC acabou solto. “Dizem que está no Paraguai, neste caso, vale lembrar que ele poderá se esconder sob o pseudônimo de André das Guarânias. Caso resolva passar uma temporada na Argentina poderá usar o pseudônimo de André do Tango. O caso do André do Rap é o seguinte: o juízo de primeiro grau decretou a prisão de André do Rap e o Tribunal Regional Federal manteve a prisão do suposto líder do PCC. A defesa fez pedido ao Superior Tribunal de Justiça e este engou o pedido. O ministro Marco Aurélio Melo recebeu pedido semelhante no Supremo Tribunal Federal e sem observar muito cumpriu literalmente a letra da lei onde reza que a cada 90 dias uma revisão da prisão preventiva deve ser efetuada. Caso não venha a ser feita a revisão, preso pode ser solto, caso que aconteceu com o André do Rap”, falou.

Coronel Cabral segue com o seu comentário relatando os desdobramentos no STF. “O presidente do STF, Luiz Fuchs revogou a decisão do seu colega. Ontem o caso foi levado ao pleno do STF e seis ministros já votaram avalizando a decisão de revogação da liberdade de André do Rap. Agora foragido, só cabe ao nosso vilão negociar a sua volta ao estilo Pablo Escobar, ou seja, construindo a sua própria cadeia sem que a pessoa moleste com direito a festa, mulheres e Rock’n Roll”, pontuou.

Ouça o comentário na íntegra: