Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Cooperaliança vai reajustar energia em 10%

Após anúncio de reajuste aprovado pela Aneel, cooperativa busca nova fonte para baratear contas
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Içara, SC, 26/08/2020 - 14:42
Divulgação
Divulgação

Foi aprovado nessa terça-feira, 25, pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) o reajuste tarifário da Cooperaliança, que atende mais de 73,9 mil unidades consumidoras em três municípios do sul do estado: Içara, Balneário Rincão e Jaguaruna. O impacto médio ao consumidor gira em torno de 10%, sendo para os de baixa tensão 10,25%, e para os de alta e média tensão, no caso as indústrias, 9,59%. 

Segundo a Aneel, o reajuste está impactado pelos custos de transmissão e aquisição de energia, com destaque para a compra de energia da usina de Itaipu, precificada em dólar.

"Para fugir desse tipo de problema, até agosto do ano que vem estaremos comprando energia no mercado livre. A partir dai o reajuste será apenas sobre o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Porém até lá seremos regulados pela tarifa autorizada pela Aneel e aplicada pela Celesc", afirmou Anselmo Freitas, secretário da Cooperaliança. 

Tabela Aneel 
O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).