Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Com 31 andares, centro de saúde sai do papel em maio

Primeiros andares, com 400 vagas de estacionamento, ficarão prontos em um ano e meio
Por Bruna Borges Criciúma, SC, 19/02/2019 - 06:15
Fotos: Daniel Búrigo / A Tribuna
Fotos: Daniel Búrigo / A Tribuna

A construção do mais novo arranha-céu de Criciúma está próxima de ter o seu pontapé inicial. Faltando apenas o aval da Prefeitura para alguns detalhes, a previsão da Compacta Incorporadora é de que o Santa Vita Saúde Center saia do papel em maio, talvez já em abril. Com 31 andares e 130 mil metros de área construída, o empreendimento se tornará o maior centro de saúde do Sul do Brasil. 

A projeção máxima de término de 100% da obra é para cinco anos após o início, mas uma primeira parte ficará pronta antes, em um ano e meio, e diz respeito a 400 vagas de estacionamento. 

“Dos 31 andares, 10 são de estacionamento. Isso representa 1,5 mil vagas de estacionamento, sendo que 800 delas serão rotativas. E serão rotativas para sempre, não acontecerá de essas vagas serem vendidas, daqui 20, 30 anos, para sempre essas 800 vagas estarão à disposição do público como rotativas”, garante Edilando de Moraes, um dos sócios responsáveis pelo empreendimento.

Vizinho do hospital

O terreno onde o Santa Vita será construído fica ao lado do Hospital São José, onde hoje está o estacionamento rotativo que serve ao hospital. “Aquele estacionamento atende 300 veículos e está lotado todos os dias, por isso vamos terminar essa parte do estacionamento, em 400 vagas, em um ano e meio”, comenta Moraes.

As 300 vagas deixarão de existir durante esse período de um ano e meio, mas o responsável explica que é um mal necessário. “Vai piorar para melhorar depois. Nós fizemos um estudo que mostra que há 35 anos existiam 50 terrenos baldios num raio de 300 metros do hospital. Hoje já são apenas 16 terrenos e acreditamos que em cinco anos eles não existirão mais”, afirma.

“Os empreendimentos dos arredores fizeram vagas para os donos das salas, mas não existem vagas para clientes. No nosso, a prioridade é o cliente, por isso teremos sempre essas 800 vagas de rotativo”, complementa. 

“Também teremos 200 vagas para motos, 16 para ambulâncias e 80 para bicicletas. Faremos, ainda, cinco paradas para carga e descarga de caminhões dentro do prédio, eles não estacionarão na rua e atrapalhar o trânsito. Até os caminhões de lixo irão carregar dentro do prédio”, acrescenta Moraes. 

Benefícios para a comunidade

As salas comerciais que abrigarão consultórios médicos, laboratórios, clínicas e demais serviços de saúde começam a ser comercializadas em março. Mas o Santa Vita terá, também, outros serviços que serão utilizados pela comunidade. No piso térreo e no mezanino funcionará uma série de serviços, como praça de alimentação, agência lotérica e posto dos Correios.

“São serviços que não existem na região e que servirão para aqueles que trabalham no hospital, na área e para todos que moram aqui e que vierem a utilizar os demais serviços do empreendimento”, explica Moraes.

Praça elevada

 Outro diferencial do centro de saúde será uma praça elevada no localizada no 10º andar. Ela contará com fonte de água, árvores e um centro ecumênico, que o público poderá utilizar para rezar, meditar e praticar ioga. 

“Ao lado dessa praça nós teremos um espaço de 450 metros direcionado a atender pessoas em recuperação de traumas físicos. Esse espaço vai reunir fisioterapia, musculação, pilates, máquinas sofisticadas, tudo o que existe nessa área de recuperação física”, afirma. 

Serão construídos, ainda, dois auditórios com 250 lugares cada, 12 salas de reuniões com espaço para 30 pessoas e duas passarelas que ligarão o Santa Vita ao Hospital São José (passando por cima da Rua Júlio Gaidzinski), uma para os profissionais e a outra para o público em geral. Estão previstos, ainda, 15 elevadores, com possibilidade de inclusão de mais 12, e heliponto.