Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Cermoful e a história no cooperativismo

Cooperativa de Morro da Fumaça contribui com a região desde a década de 1960
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Morro da Fumaça, SC, 09/07/2020 - 17:09Atualizado em 09/07/2020 - 17:41
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A história da Cooperativa de Eletrificação de Morro da Fumaça (Cermoful), remete ao dia 13 de novembro de 1963, um ano após Morro da Fumaça ter se tornado município. Na época, um grupo de 97 homens se uniu para transformar a então Força e Luz São Roque em uma Cooperativa de Eletrificação. O primeiro presidente foi o ex-prefeito de Morro da Fumaça Jorge Silva, que conseguiu que os integrantes da Sociedade Força e Luz São Roque subscrevessem o capital social da empresa ao capital da recém criada Cooperativa de Eletrificação Rural de Morro da Fumaça Limitada (Cermoful).

Um pouco desta história foi contada pelo presidente da Cermoful, Ricardo Bittencourt, em entrevista ao jornalista Arthur Lessa, no programa 60 Minutos, em alusão ao Dia do Cooperativismo. “Surgiu na década de 1960, veio crescendo e virou uma cooperativa modelo”, salienta. Hoje, a cooperativa atende 15 mil consumidores. “Atendemos 100% de Morro da Fumaça parte de Içara, Criciúma, Urussanga, Cocal do Sul e Pedras Grandes”, fala Bittencourt.

O presidente da cooperativa fumacense fala ainda do diferencial das cooperativas. “Tem um atendimento diferenciado, sempre se preocupa muito com os associados, com uma atenção melhor possível. Atendimento, qualidade e preço diferenciados”, ressalta.

A Cermoful possui atualmente 56 funcionários e tomou alguns cuidados para a realização dos serviços durante a pandemia do novo coronavírus. “Atravessamos um bom momento, formamos grupos de funcionários com horário diferenciado para atuar durante a pandemia, par anão ter muito contato entre os tramalhadores”, relata.

Planos futuros

Para o futuro, Bittencourt revela que o principal objetivo é a aquisição ou construção de uma nova subestação. “A cooperativa tem planejamento, o sonho é comprar ou construir uma nova subestação em Morro da Fumaça, é um dos maiores planos. Estamos com o planejamento de rede tranquilo, então a nossa maior preocupação hoje é esta. Não tínhamos nenhuma e ficaríamos com duas, ficando em uma situação mais tranquila”, finaliza.