Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

“Até quando vamos correr atrás do prejuízo?”

Tiago Zilli, empresário e ex-prefeito de Turvo Turvo, SC, 12/08/2021 - 12:51Atualizado em 12/08/2021 - 12:54
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

“Mais uma vez a nossa região precisa correr atrás do prejuízo ao invés de correr atrás dos seus objetivos. Mais uma vez uma nova ameaça faz o Extremo Sul se movimentar em busca de solução. Mais uma vez a falta de representatividade política pode suplantar o sonho do Vale de crescer e se desenvolver.

Como se não bastassem as ameaças de fechamento da Agência da Receita Federal em Araranguá, o fechamento da agência da Celesc e a paralisação das obras da BR 285, agora temos a notícia de que o curso de medicina da UFSC enfrenta dificuldades e corre o risco de paralisar suas atividades. É inadmissível e revoltante!

Até quando vamos tolerar esse tipo de desmando e falta de comprometimento político com a região? Até quando precisaremos agir “apagando incêndios”, quando deveríamos criar estratégias de desenvolvimento? E não é sobre resolver todos os problemas. É sobre não se acomodar. É sobre buscar soluções que a região precisa. Não dá pra aceitar que sejamos menos do que podemos ser.

Quero aqui, manifestar meu total apoio aos estudantes e professores do curso de medicina da UFSC e ao movimento de defesa criado pela ACIVA, que além de realizar um valoroso trabalho de fortalecimento da indústria e comércio, também levanta a bandeira em prol do curso de medicina, pois conhece bem o avanço que isso representa para a região. 

Não podemos retroceder e perder aquilo que já conquistamos. É hora de unir forças, de mobilizar e evitar que a população seja prejudicada. Onde estão nossas forças políticas estaduais e federais? 

O Vale precisa de mais do que tem recebido. Muito mais!"

Tiago Zilli, empresário e ex-prefeito de Turvo