Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

As velhas e surradas raposas das eleições municipais

Archimedes comenta sobre o jogo político das eleições municipais
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 30/01/2020 - 09:25Atualizado em 30/01/2020 - 09:25

Com o deputado federal Jorge Boeira afirmando que não será candidato a prefeito para as eleições deste ano, o PP, partido o qual está filiado e que já foi a maior sigla do município, busca por outras lideranças. Apesar disso, suas lideranças locais nem ao menos são ouvidas, e vozes de outros políticos falam em nome do partido.

“Quem fala em nome do PP são políticos de outras plagas que, certamente, jogam objetivando colher resultados que lhe favoreçam pessoalmente. Essa gente, faz tempo, faz política para a satisfação de seus desejos pessoais e o coletivo que se exploda”, destacou Archimedes Naspolini Filho. 

O jornalista compara políticos assim como a Copa do Mundo de futebol - que aparecem por aqui apenas de quatro em quatro anos, para determinar as cores que serão empregadas no quadro. E foi só o Boeira terminar de garantir que estará fora de uma possível candidatura que já surgiram as vozes das velhas e surradas raposas.

“Estas raposas que de vez em quando passam por aqui, mais para não se perderem nos caminhos da cidade que cresce do que para poder colaborar.  Surgem com uma receita pronta e querem o continuísmo dos que se apossaram do poder faz tempo, mas exigem a vaga de vice-prefeito. Não conseguem nem fazer uma eleição para o seu diretório, mas tem o topete de fazer uma exigência dessa: quer a participação majoritária da condição de vice-prefeito”, destacou.

O jornalista ainda ressalta que alguns políticos agem como se fossem fiéis da balança do pleito, como se não importasse onde estiverem - a vitória será certa. “Sequer sabem fazer conta, pelos resultados do último pleito, que elegeu dois vereadores, e terão muita dificuldade de fazer um, mas querem dar as cartas e exigem participar da disputa majoritária”, disse.