Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ajuda aí, doutor!

Desgastes e lesões são os primeiros rivais de Gilson Kleina para a semifinal do Campeonato Catarinense
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 13/04/2019 - 11:21
Foto: Lucas Renan Domingos/A Tribuna
Foto: Lucas Renan Domingos/A Tribuna

Seguindo o cronograma de jogos decisivos, o Criciúma vai em busca de mais uma classificação neste fim de semana. Depois da eliminação para a Chapecoense na Copa do Brasil, na última quarta-feira, a missão agora é no Campeonato Catarinense. O Tigre vai até o Estádio da Ressacada enfrentar o Avaí pela semifinal do estadual. O confronto é contra a equipe de melhor campanha na competição até o momento. O Leão da Ilha avançou no campeonato, como o primeiro da fase de pontos corridos, mas enfrentar um adversário difícil não será o único dos problemas do Criciúma.

As dificuldades para a semifinal começaram muito antes da bola rolar. Por conta da sequência de jogos intensos, como as disputas contra o Hercílio Luz no último domingo, em campo alagado, e Chapecoense, na Copa do Brasil, o departamento médico do Tigre anda preocupado com desgastes. “A reunião hoje foi com o médico. Falei para ele: ‘Doutor, você que vai escalar o time aí’”, brincou o técnico Gilson Kleina.

Dúvidas e mais dúvidas

Apesar de tratar o assunto com naturalidade, o treinador não esconde as dúvidas para definir o time para o jogo deste domingo. “Muita gente no departamento médico. Vamos ver se Andrew e Caíque recuperam, Carlos Eduardo tomou o terceiro amarelo. O próprio Eduardo (lesão na coxa). Tem alguns jogadores que fizeram um jogo pesado no domingo e esse jogo de quarta-feira. Tem que ter uma atenção maior. São os casos do Vinícius, Maicon e Léo Gamalho. Então a gente vai montando a equipe entre hoje(ontem) e amanhã(hoje)”, destacou.

Os prováveis desfalques, se confirmados, forçarão o Kleina a mudar algumas peças. A torcida tem sido pela recuperação dos jogadores para que, pelo menos, a forma de jogo não seja alterada. “Se a gente já não poder contar com o departamento médico e ainda fazer mudança de ordem, técnica, aí vamos mexer muito na equipe. Não é o ideal. Temos que priorizar pelo menos o início de trabalho que nós temos. Neste momento estamos muito focados em ver se o atletas conseguem recuperar”, analisou.

Avaí é favorito?

Na teoria, a vantagem está a favor da equipe Azurra. Se for levado em consideração o desempenho da equipe de Geninho no Campeonato Catarinense, o Avaí tem números superiores aos do Tigre. O time avaiano terminou a primeira fase do estadual sete pontos à frente do segundo colocado, a Chapecoense. Tem o melhor ataque e a melhor defesa da competição até então e ainda não perdeu nenhum jogo em casa durante o Catarinense.

“Temos que nos preocupar internamente, com o nosso trabalho. A gente queria estar nessa fase e todos têm seus méritos por ter classificado. Deu no mata-mata nós e o Avaí, a equipe mais regular do Campeonato. Mas isso não só o Avaí que tem coisas muito boas. Aqui no Criciúma também está tendo uma crescente, jogadores crescendo no momento certo, jogadores decisivos. Que a gente vá com esse espírito, com essa concentração alta”, pontuou Kleina.