Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A emoção de Ada de Luca sem Walmor

"Ele era uma bandeira viva", definiu a deputada na despedida ao marido ontem falecido
Denis Luciano / Amanda Farias Içara, SC, 10/09/2019 - 11:35Atualizado em 10/09/2019 - 11:45
Fotos: Amanda Farias / 4oito
Fotos: Amanda Farias / 4oito

"É uma pessoa que vai deixar saudades. Marcou época, em todos os sentidos". A definição da deputada estadual Ada de Luca (MDB) sobre seu marido Walmor de Luca, ontem falecido aos 81 anos, em Florianópolis, resume o sentimento da esposa e companheira de 53 anos. "Eu creio que o Walmor não representou apenas Içara e Santa Catarina, ele representou o município, o Estado e o País", afirmou. Ada chegou ao velório do marido por volta das 11h desta terça-feira, 10, na Câmara de Vereadores de Içara.

Ada tinha 17 anos quando casou com Walmor, à época com 28. "Pode ter igual, mas homens do mesmo porte, da intelectualidade dele, da luta dele, de como ele foi guerreiro. Eu me casei com ele, tinha 17 anos, acompanhando sempre na luta pela democracia, contra a ditadura. Ele era uma bandeira viva", afirmou. A deputada tem intenção de concluir o livro que o esposo vinha escrevendo. "O livro dele ficou pela metade, quando editarmos o livro vão ver que ele era uma luta viva, de uma luta, de um início de uma história. Ele era o mais antigo filiado do MDB catarinense", apontou.

Para a deputada e agora viúva, a garra de Walmor fará falta. "Vai fazer falta não só para mim, como uma pessoa de garra, de fibra. Quando eu esmorecia ele fazia eu levantar a cabeça", lembrou. O legado também se estende à vida familiar, com o carinho de todos que tiveram em Walmor uma referência. "Ele deixou um bom legado. As filhas sempre chamavam ele de meu Google. Elas dizem que foi o primeiro Google da vida delas. Era um sujeito de uma intelectualidade que eu considero até anormal. Sempre foi um orgulho para a família. Deixa um legado bom", avaliou.

Sem dormir desde ontem, Ada agradeceu a solidariedade dos catarinenses. "Agradeço a solidariedade de todo o povo catarinense, o velório em Florianópolis foi inigualável, não sei se esperava", comentou. Foram mais de cinco décadas de união. "Ele representou na minha e eu na vida dele. Sempre caminhamos juntos. Os nossos ideais sempre foram os mesmos, por isso ficamos 53 anos casados. Nunca tivemos valores diferentes. Eu animava ele, ele me animava, a gente já chorou muito, riu muito, tivemos vitórias e derrotas. Lá do alto ele vai fazer essa mesma parceria comigo, e tenho o povo que ficará do meu lado e me ajudar em tudo. Nosso povo é muito solidário. Estamos em vários guerreiros", completou.

O velório de Walmor de Luca prossegue até as 16h na Câmara de Içara. Depois, a homenagem final ocorrerá no Salão de Atos do Crematório Millenium, onde posteriormente o corpo será cremado.

Confira também:

"Uma grande perda", diz Murialdo sobre Walmor de Luca

Eduardo e Walmor: dos embates à amizade estreita

Governador decreta luto oficial pela morte de Walmor de Luca