Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A confiança de Ricardo Guidi na Justiça

Deputado lembra o risco que existe de alteração em rituais das eleições com base em decisão de processo
Denis Luciano
Por Denis Luciano Brasília, DF, 15/08/2019 - 19:23
Divulgação
Divulgação

O julgamento desta quinta-feira, 15, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), envolvendo o recurso do PT que pode tirar vaga do deputado Ricardo Guidi (PSD) na Câmara Federal, está em quatro votos a três contrários aos interesses do criciumense. "Os meus advogados estavam presentes no julgamento, que foi inclusive suspenso, com pedido de vistas do ministro Barroso", informou Guidi, em entrevista ao programa Ponto Final na Rádio Som Maior.

Confira também - Nova ameaça contra o mandato de Ricardo Guidi

"Esse julgamento começou em março ou abril, quando o ministro relator já tinha dado um voto favorável, e teve um pedido de vistas do ministro Jorge Mussi, que hoje apresentou um voto divergente, porém o ministro Barroso, que não concordou com aquele voto, ele viu com muita preocupação. É um voto com efeitos muito graves não apenas para o futuro mas também para o passado", elencou, na linha do que o seu advogado Alessandro Abreu havia relatado mais cedo.

Confira também - "O PT está travestindo o interesse próprio"

O deputado lembra que o processo movido pelo PT não leva em conta o ritual do mural eletrônico como critério para manutenção das candidaturas. "Ele desconsidera a forma como a Justiça Eleitoral cita os candidatos. Todas as citações são feitas por mural eletrônico, assim como foi feito para a candidata do PT e para todos os candidatos. Essa candidata foi citada, não apresentou a documentação necessária, isso transitou em julgado ainda antes da eleição e quando saiu o resultado, ela só foi candidata para preencher a cota de mulheres, o partido não teve o menor interesse na candidatura dela. Quando viram que aqueles 400 votos poderiam fazer diferença, daí buscaram reverter essa situação", sublinhou. "Se isso for aceito, praticamente desmonta o mural eletrônico, pois qualquer um que teve a sua candidatura impugnada poderá ingressar na Justiça Eleitoral alegando que o mural não valia", emendou.

Guidi demonstra confiança no resultado no TSE. "Prefiro acreditar que existe Justiça nesse país", afirmou. Mas o parlamentar não esconde a preocupação. "Sempre a gente fica preocupado, mas vamos trabalhando, temos feito um bom trabalho representando Santa Catarina. Tenho me esforçado muito, tenho trabalhado bastante", finalizou.