Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Vereador solicita paralisação das aulas nas redes pública e particular em Criciúma

Zairo Casagrande (PSD) usará espaço na tribuna para pedir um decreto de paralisação da prefeitura; especialistas reforçam o coro
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 16/03/2020 - 11:07Atualizado em 16/03/2020 - 11:07
Foto: Arquivo / Divulgação
Foto: Arquivo / Divulgação

O vereador Zairo Casagrande (PSD) adiantou que usará o espaço na tribuna na sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira, 16, para pedir ao prefeito Clésio Salvaro (PSDB) a suspensão das aulas das redes pública e privada no município. De acordo com Zairo, é uma questão preventiva que deveria ser tomada pela administração municipal. Especialistas da saúde têm pedido a suspensão da atividade escolar, enquanto prefeitura, governo do Estado e parte das escolas particulares apontaram pela manutenção do período letivo. 

"Ser condenado porque preveniu é uma coisa, ser condenado porque não tomou nenhuma atitude é outra. Por prevenção, peço que lance esse decreto suspendendo as aulas das redes pública e particular por 30 dias em Criciúma", disse Zairo.

Mais cedo, Salvaro confirmou que as aulas na rede municipal seguiriam da mesma forma. O coro foi reforçado pela secretária de Educação do município, Roseli Pizzolo, após reunião realizada no gabinete da prefeitura, que contou com a presença da Câmara de Vereadores, do Hospital São José e da secretaria de Saúde. 

“É na escola onde nós vamos ensinando os nossos alunos sobre higienização, sobre lavar bem as mãos e a fazer higiene local. Faremos projetos nas escolas para que não só os serventes façam a higiene do local onde os alunos fiquem, mas vamos incentivar os estudantes a fazerem juntos para que aprendam. Ainda hoje, o local mais seguro para os nossos alunos ficarem é na escola”, disse a secretária

O posicionamento de Salvaro foi na mesma linha. "As escolas muitas vezes são um ambiente mais saudável do que as próprias casas. Nas escolas as pessoas são muito bem acolhidas, têm onde ficar. Temos as creches em tempo integral que atende a 12 mil crianças, se paralisar as aulas, você para a cidade. Estamos tomando as medidas responsavelmente", disse o prefeito.

Segundo Zairo, as escolas da região aguardam uma definição de paralisação por parte da prefeitura. "Acredito que o prefeito  já  tome uma decisão de paralisação durante o dia. Os colégios estão  aguardando: o Marista, Satc e Rogacionista", disse. Ele acrescentou:

"Prevenir é muito melhor do que remediar e o prefeito estará acertando ao prevenir, tomando uma atitude drástica. Tem uma série de medidas que vão junto, com relação à merenda, ao abrigo dessas crianças nesse período. É importante tomar uma atitude rápida, até porque os colégios estão aguardando essa decisão", concluiu. 

Na primeira hora da manhã, a Unesc, a Satc e a Esucri confirmaram que as aulas continuarão, ao menos neste momento. Colégios particulares e a rede estadual também manifestaram-se pela continuidade do período letivo. Especialistas da saúde têm sinalizado pela paralisação das aulas; após reunião de grupo de médicos, a Unimed Criciúma posicionou-se pela suspensão das atividades escolares na cidade.