Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Um castigo pelo o que jogou o Criciúma

Para Mazola Júnior, Brasil de Pelotas foi superior em campo e mereceu sair com a vitória
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 10/10/2018 - 08:00
Mesmo com a derrota, treinador enaltece o bom momento do Criciúma/Foto:Guilherme Hahn/Especial
Mesmo com a derrota, treinador enaltece o bom momento do Criciúma/Foto:Guilherme Hahn/Especial

Uma vitória em casa e o Criciúma estaria ainda mais perto de chegar aos 45 pontos. Mas, a derrota para o Brasil de Pelotas manteve o Tigre a cinco pontos de alcançar a meta. O motivo para adiar o objetivo? Na visão do técnico Mazola Júnior, um Criciúma em campo inferior ao adversário. “Não fizemos um bom jogo, eles foram muito mais competitivos. Para mostra isso tem um número. Nós ganhamos 24 primeiras bolas e só sete vezes a segunda”, calculou o treinador.

Em um estilo de jogada que tem sido uma forte arma do Criciúma, a bola parada e o cabeceio, o Xavante conseguiu fazer o 1 a 0 nos 46 do segundo tempo e sair com a vitória. Mesmo sendo no fim do jogo, Mazola não ficou satisfeito com a atuação de sua equipe. “Acabamos tomando um gol que saiu de uma falta desnecessária”, lembrou. “Foi um castigo pelo o que jogamos hoje. Acho que o Brasil mereceu. Eles foram mais equipe que o Criciúma. Temos que aceitar a derrota”, pontuou.

A experiência fez falta

A escolha por mudar o esquema tático que vinha rendendo ao Criciúma boas partidas, não foi apenas uma escolha de Mazola. Para a partida de ontem, o treinador tinha sete desfalques: Vitor Feijão, Zé Carlos, Elvis, Alex Maranhão, Andrew, Luiz e Jacy Maranhão.

“Perdemos muitos jogadores que vinham jogando a muito tempo. Estamos perdendo muito atletas em jogos seguidos, e os que vem entrando estão a tempo sem jogar. Isso reflete no nosso desempenho. Com exceção do Gabriel, nós fizemos muito pouco. Nosso meio campo lento. Durante os 90 minutos o Brasil de Pelotas foi melhor que nós. Temos que aceitar”, reforçou.