Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Teoria da conspiração na Fórmula 1

Thiago Ávila acredita que a Hass não tenha feito de propósito
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 01/04/2018 - 16:29
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

Ele escreve para o Blog João Nassif e participou do Som Maior Esportes do último sábado (31). Thiago Ávila é acadêmico de jornalismo da PUC-RS e fanático por automobilismo. Recentemente acompanhou in loco a etapa uruguaia da Fórmula E, além de outras corridas de Fórmula 1 e Stock Car. Na primeira etapa da temporada 2018 de F1, Sebastian Vettel se beneficiou do safety car e venceu a prova.

“Tem teoria da conspiração, porque as duas Hass tiveram problemas, então o Vettel ultrapassou o Hamilton. E a Hass usa o motor Ferrari. Naquela etapa de 2008 eram duas Renault”, comentou, lembrando a corrida de Cingapura, quando Nelsinho Piquet bateu de propósito para beneficiar seu companheiro de equipe Fernando Alonso.

Segundo Ávila, a F1 é a categoria mais fechada, sendo que as outras que já acompanhou de perto é possível até o contato com os pilotos. A carreira de Rubens Barrichello também entrou em pauta. “Injustiçado acho que não. Ele foi o que mais teve chances, ele correu temporadas na Ferrari e na Brown”, analisou.

Tags: fórmula 1