Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
Eleições 2020

Sul catarinense conta com 761 mil eleitores aptos a votar

Dados atualizados pelo TSE indicam 320 mil eleitores na Amrec. Maior colégio eleitoral é Criciúma, com 146 mil votantes
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 06/08/2020 - 08:45Atualizado em 06/08/2020 - 09:10
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, apresentou os números atualizados do Repositório de Dados Eleitorais (RDE) com a estatística oficial do eleitorado brasileiro registrada com foco nas eleições municipais de 15 de novembro.

O sul de Santa Catarina conta com 761.187 eleitores. Na região carbonífera estão 320.996 votantes entre as 12 cidades. São 280.860 aptos a votar nos 18 municípios da Amurel e 159.331 que podem votar nas 15 cidades da Amesc.

Criciúma, o maior colégio eleitoral do sul, conta com 146.371 eleitores. O segundo colégio da região carbonífera é Içara, com 40.564 votantes, e o terceiro é Forquilhinha, com 19.694 votantes.

Na Amesc, Araranguá contabiliza 50.581 votantes, Sombrio tem 22.218 eleitores e o Balneário Arroio do Silva conta com o terceiro maior eleitorado, 10.880.

Na Amurel, Tubarão lidera, com 78.494 votantes. São 37.071 eleitores em Imbituba e 34.550 em Laguna.

Criciúma, maior colégio eleitoral do sul e sétimo de Santa Catarina

Os menores colégios eleitorais da região são Treviso (4.052 votantes na Amrec), Ermo (2.125 eleitores na Amesc) e Santa Rosa de Lima (1.994 aptos a votar, na Amurel).

Eleitorado no Sul - 761.187

Eleitorado na Amrec - 320.996

Criciúma - 146.371

Içara - 40.564

Forquilhinha - 19.694

Orleans - 18.824

Urussanga - 17.263

Cocal do Sul - 13.806

Morro da Fumaça - 13.183

Lauro Müller - 12.223

Balneário Rincão - 12.180

Nova Veneza - 11.914

Siderópolis - 10.922

Treviso - 4.052

 

Eleitorado na Amurel - 280.860

Tubarão - 78.494

Imbituba - 37.071

Laguna - 34.550

Braço do Norte - 24.086

Capivari de Baixo - 17.331

Jaguaruna - 14.539

Imaruí - 9.157

São Ludgero - 8.838

Gravatal - 8.826

Sangão - 8.255

Pescaria Brava - 7.365

Treze de Maio - 6.528

Armazém - 6.418

Grão-Pará - 5.636

Rio Fortuna - 4.327

Pedras Grandes - 4.188

São Martinho - 3.257

Santa Rosa de Lima - 1.994

 

Eleitorado na Amesc - 159.331

Araranguá - 50.581

Sombrio - 22.218

Balneário Arroio do Silva - 10.880

Turvo - 9.589

Balneário Gaivota - 9.408

Jacinto Machado - 9.061

Santa Rosa do Sul - 7.188

São João do Sul - 6.397

Passo de Torres - 6.349

Maracajá - 6.209

Praia Grande - 6.110

Meleiro - 5.965

Timbé do Sul - 4.484

Morro Grande - 2.767

Ermo - 2.125

No Brasil

Em nível nacional são 147.918.483 eleitores brasileiros estão aptos a votar nas Eleições 2020. Eles vão votar em prefeitos e vereadores dos 5.569 municípios na disputa de 15 de novembro. Não votam nesta eleição os eleitores do Distrito Federal e Fernando de Noronha, além dos cadastrados no Exterior. 

O eleitorado brasileiro cresceu 2,66% em relação às últimas eleições municipais, em 2016, quando 144.088.912 pessoas estavam aptas a exercer o direito do voto. Amazonas foi o estado com maior acréscimo, de 2.320.326 eleitores para 2.503.269, representando uma evolução de 7,88%. O único estado que apresentou redução no número de eleitores foi Tocantins, que caiu 0,17% (em 2016 eram 1.037.063 e em 2020 serão 1.035.289).

São Paulo segue como maior colégio eleitoral, com 33.565.294 eleitores, incremento de 2,69% do eleitorado paulista. A capital de São Paulo é o município do Brasil com mais eleitores, com 8.986.687 no total. O município com o menor eleitorado do Brasil é Araguainha, no Mato Grosso, com 1.001 eleitores.

Ministro Barroso, presidente do TSE, anunciou os números ontem

Em Santa Catarina

O estado conta com 5.205.931 aptos a votar nos seus 295 municípios em 15 de novembro. Joinville é o maior colégio eleitoral, com 403.526 eleitores, seguido por Florianópolis, com 357.049 aptos a votar e Blumenau, com 247.014 votantes. São as três cidades em condições de ter segundo turno, por possuir mais de 200 mil eleitores.

Há, ainda, outras sete cidades com mais de 100 mil eleitores: São José (170.817), Chapecó (151.220), Itajaí (147.784), Criciúma (146.371), Palhoça (126.585), Lages (123.001) e Jaraguá do Sul (114.223 votantes).

Gênero e nome social

A maioria do eleitorado no Brasil é formada por mulheres, que representam 52,49% do total, somando 77.649.569. Os homens somam 70.228.457 eleitores, sendo 47,48% do total. Outros 40.457 eleitores não informaram o gênero ao qual se identificam, representando 0,03% do eleitorado brasileiro. Desde 2018 a Justiça Eleitoral passou a permitir o uso do nome social no título de eleitor e, nestas eleições, 9.985 pessoas utilizarão esse direito no documento.

Voto obrigatório e voto facultativo

Existem 133.377.663 eleitores com voto obrigatório e outros 14.538.651 cujo voto é facultativo. Entre os eleitores com voto obrigatório, a maior parte está na faixa etária de 35 a 59 anos, sendo 67.011.670 no total. Já os eleitores jovens, na faixa etária de 18 a 24 anos, somam 19.040.756 cidadãos.

O eleitorado com voto facultativo apresenta uma curiosidade: existem 65.589 idosos com mais de 100 anos que estão com as obrigações eleitorais em dia e poderão ir às urnas.

Ainda sobre esses eleitores que não são obrigados a votar, mas fazem questão de exercer a cidadania por meio do voto, estão 1.030.563 jovens entre 16 e 17 anos; 8.784.004 idosos entre 70 a 79 anos; e 4.658.495 idosos de 80 a 99 anos.

Grau de instrução

A maior parte do eleitorado brasileiro informou ter o ensino médio completo, sendo 37.681.635 (25,47%) nesta condição. Em seguida, outros 35.771.791 eleitores (24,18%) disseram ter o ensino fundamental incompleto. Outros 22.900.434 (15,48%) possuem o ensino médio também incompleto. Apenas 10,68% do eleitorado brasileiro, ou seja, 15.800.520 concluíram a graduação superior.

Eleitores com deficiência

Enquanto em 2016 os eleitores com deficiência eram 598.314, neste ano, 1.158.234 declararam necessitar de algum tipo de atendimento especial. Houve, portanto, uma evolução de 93,58% de eleitores com deficiência que pretendem votar este ano. Importante destacar que os dados consideram a declaração do cidadão no momento em que se registrou como eleitor, ou seja, não significa que houve um aumento de pessoas com deficiência.

Biometria

Diante das medidas sanitárias adotadas a partir da pandemia causada pelo coronavírus (Covid-19), a Justiça Eleitoral decidiu excluir o uso da biometria como meio de identificação nas eleições deste ano. No entanto, os dados mostram um avanço significativo na coleta dos dados nos últimos quatro anos. Enquanto, em 2016, 46.305.957 pessoas foram identificadas a partir das impressões digitais, em 2018, esse número saltou para 87.363.098 e, em 2020, já soma 117.594.975. Esse avanço significa que 79,50% dos eleitores brasileiros já estão identificados pela biometria. 

O ministro também informou outros dados durante a entrevista coletiva, como o número de partidos, que atualmente são 33 devidamente registrados no TSE, e o número de zonas eleitorais em todo o país, que chega a 2.645. Ao todo, existem 473.527 urnas em condição de uso para as eleições deste ano.

(Com informações do TSE)