Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Sem lesão, Arilson convive com dores causadas por desequilíbrio e desfalca o Tigre

Clube não descarta encaminhá-lo a clínica especializada em Florianópolis, enquanto volante faz trabalhos de condicionamento com a fisioterapia
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma, SC, 29/07/2021 - 15:45
Arilson desfalcou o Criciúma em três partidas e saiu no primeiro tempo em outras duas (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)
Arilson desfalcou o Criciúma em três partidas e saiu no primeiro tempo em outras duas (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)

O quadro clínico de Arilson tem sido uma das preocupações do Tigre neste segundo semestre. O volante, dentre os jogadores considerados titulares pelo técnico Paulo Baier, foi o que mais desfalcou o time na Série C e Copa do Brasil. O atleta tem feito trabalho com a fisioterapia e é alvo de constantes avaliações pelo Departamento Médico do clube. 

Contratado junto ao Pouso Alegre, de Minas Gerais, depois de fazer um bom Campeonato Goiano, Arilson logo foi alçado à equipe titular, formando dupla com Dudu Vieira. O camisa 8 manteve boa regularidade dentro de campo, até começarem as dores.

Das 12 partidas do Tigre no semestre, Arilson foi escalado em 10, mas atuou em apenas nove; contra o Paraná, sentiu um desconforto muscular "na boca do túnel" e foi substituído de última hora por Eduardo. 

Em duas, das nove oportunidades que teve como titular, Arilson foi substituído na primeira etapa: contra o Novorizontino e contra o Fluminense. Completou o jogo em apenas cinco oportunidades: nas duas partidas contra o América Mineiro pela Copa do Brasil e contra São José, Ypiranga e Oeste na Série C. 

Contra o Novorizontino, Arilson sentiu dores na coxa direita e, após a partida, realizou exame de imagem que não detectou lesão. Antes da partida contra o Paraná, ele foi barrado 19 minutos antes do jogo com dores na panturrilha. 

Após a lesão contra o Fluminense, o clube divulgou uma nota sobre o quadro clínico de Arilson. O volante não tem lesão, mas um desequilíbrio muscular que causa as dores durante os jogos e treinos com maior sobrecarga. O jogador faz trabalhos de condicionamento e reequilíbrio com o setor de fisioterapia do clube.

Em nota, o Tigre não descartou encaminhá-lo a uma clínica especializada em Florianópolis. "O departamento médico tem investido todos os recursos humanos e tecnológicos a fim de obter rápida resposta, e neste sentido, caso haja real necessidade, há a possibilidade de ser realizada uma avaliação biomecânica dos membros infeirores em clínica especializada em Florianópolis", divulgou a assessoria de imprensa do clube. 

Sem Arilson, o técnico Paulo Baier terá que encontrar alternativas para o jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, no próximo sábado, às 16h30 no Maracanã. Na ida, o jogador foi substituído por Dudu Figueiredo, com o recuo de Eduardo para a função de segundo volante.

Além de Dudu Figueiredo, aparecem como opções os volantes Léo Costa e Jessé, o que manteria Eduardo como meia pela direita e daria maior sustentação defensiva; um empate basta para o Tigre avançar às quartas de final e garantir mais R$ 3,45 milhões em premiação.