Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

São Donato, inovação e aeroporto nas pautas do governador

Impasse com hospital de Içara continua. A boa notícia veio para o Centro de Inovação
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 24/05/2019 - 19:35Atualizado em 24/05/2019 - 19:47
Governador com os prefeitos da Amrec conversando sobre a maternidade do Hospital São Donato / Foto: Amanda Farias / 4oito
Governador com os prefeitos da Amrec conversando sobre a maternidade do Hospital São Donato / Foto: Amanda Farias / 4oito

Na sexta-feira de agenda política pesada em Criciúma, o Fórum Parlamentar Catarinense aglutinou as mais diversas forças. De praticamente todos os prefeitos da Amrec a muitos deputados, até de outras regiões e estados, e o governador do Estado, Carlos Moisés (PSL).

"O fato de o Fórum ter trazido a Criciúma o ministro das Minas e Energia para tratar de um assunto tão pertinente na região já foi uma vitória", comemorou o presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD), citando a visita do ministro Bento Albuquerque. "E a possibilidade também que tivemos de, juntamente com Acic, prefeitura de Criciúma e Unesc, receber do governador aquilo que era uma reivindicação nossa, o Centro de Inovação. Uma manhã histórica", completou.

Julio Garcia, governador Carlos Moisés e prefeito Clésio Salvaro / Foto: Daniel Conzi / Alesc

O impasse da maternidade

Se a pauta positiva foi o Centro de Inovação, com R$ 6 milhões garantidos para adaptações no prédio do antigo Complexo de Educação cedido pela Unesc, a preocupação em relação ao Hospital São Donato (HSD) de Içara continua. A instituição mantém a promessa de fechar a maternidade a partir de 1º de junho em função de divergências com o Estado e da falta de garantias quanto ao repasse mensal de R$ 150 mil que serviam ao custeio do serviço.

"Eu reafirmei que o Estado não está dizendo que não vai repassar. Houve um ajuste para que esse encaminhamento seja feito até o meio do ano e depois vamos aplicar outra métrica. Todos os hospitais que produzirem vão receber pelo que produzem. Temos hospitais no estado que recebem R$ 2 milhões por mês e outro R$ 300 mil, vai comparar, a produção não justifica", afirmou o governador.

Foto: Daniel Conzi / Alesc

Na mesma linha, o secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, agendou para a próxima segunda-feira, 27, uma reunião com os prefeitos da região para tratar sobre o futuro da relação do Estado com o HSD. "Os hospitais permanecerão tendo aporte perante comprovação de produtividade. O funcionamento do São Donato não deverá sofrer qualquer alteração ou prejuízo", informou.

A direção do HSD voltou determinada a suspender as atividades da maternidade com base em informações do secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, de que o repasse estava encerrado a partir do mês que vem, e que o governo faria o pagamento dos atrasados. "Eu acho que há um desencontro de informações. O que de fato não haverá mais é esse repasse fechado, esse valor de R$ 150 mil conveniados lá atrás, o Governo do Estado está estabelecendo uma nova política de incentivos. Aquele formato de R$ 150 mil sem prestação comprovada de serviços não vai ser pago, agora com novo critério, mais justo, a produtividade", assinalou Borba. "O valor vai ficar muito próximo e talvez maior ao atual convênio do São Donato", concluiu o chefe da Casa Civil.

Foi lembrado, ainda, que há uma emenda do deputado estadual Rodrigo Minotto, de R$ 700 mil, a ser repassada para colaborar com o custeio do HSD.

A mesa do Fórum Parlamentar Catarinense em Criciúma / Foto: Daniel Conzi / Alesc

Investimento

Se o impasse na saúde dominou a pauta, o governador fez do Fórum Parlamentar Catarinense em Criciúma espaço para divulgar o investimento de R$ 6 milhões no Centro de Inovação de Criciúma, resolvendo um impasse de alguns anos. "Essa parceria é fundamental, essa é uma área que gera emprego, renda, desenvolvimento e solução de problemas. É por isso que Santa Catarina está se transformando em um polo de inovação. A gente não tinha esse dinheiro, R$ 16 milhões. Criciúma é parceira, estão cedendo o espaço físico, a Unesc, vamos investir e a partir dessas economias temos esses resultados para fazer essas entregas", afirmou Carlos Moisés.

O auditório esteve lotado na Acic / Foto: Amanda Farias / 4oito

Aeroporto

A solução do problema que impedia os voos da Latam no Regional Sul, em Jaguaruna, também foi destacada pelo governador. "O aeroporto precisa de investimentos, a gente conseguiu uma solução rápida com a parceria dos nossos deputados federais. O Estado respondeu imediatamente transferindo os homens para Jaguaruna e vamos fazer uma formação de mais homens", enfatizou. Moisés lembrou que outros aeródromos catarinenses também precisam de mais voos. "São vários aeroportos com problemas, precisamos atrair mais voos e empresas, e para isso trabalhamos na proposta da concessão de incentivos fiscais para quem voa em seis ou mais aeroportos de Santa Catarina, pagar menos ICMS", finalizou.