Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Roberto Cavalo: "Gostamos do que colocamos"

Técnico do Criciúma saudou o 2 a 2 em Itu, definindo a partida como "um jogo bem disputado"
Denis Luciano
Por Denis Luciano Itu, SP, 11/09/2020 - 22:33Atualizado em 11/09/2020 - 22:50
Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC
Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC

"Um jogo bem disputado". Assim, o técnico Roberto Cavalo definiu o 2 a 2 do Criciúma contra o Ituano na noite desta sexta-feira, 11, no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela sexta rodada da Série C do Brasileiro. "Começamos bem equilibrados. Pela primeira vez saímos atrás, nos dificultou um pouco, mas o time teve sabedoria e empenho", afirmou.

Cavalo voltou a comentar que o atacante Michel não teve as oportunidades para definir a partida. "Foi um jogo equilibrado, com as equipes tentando, buscando chances. De novo não tivemos uma chance clara com o Michel para finalizar, mas o jogo foi equilibrado. É o que vai ser a Série C", registrou. "No fim mostrou um poder de reação e foi buscar o 2 a 2", sublinhou.

O time treinou vários esquemas antes da partida, e acabou entrando em campo no 4-3-3. "Trabalhamos todos os dias. Treinamos a formação 4-3-3, 4-4-2, 4-2-4, tudo isso temos feito, e gostamos do que colocamos em campo hoje", defendeu o treinador.

Para o técnico, o Ituano poderia estar melhor na tabela, conforme o que jogou nesta sexta. "O melhor resultado é a vitória. Se não dá para ganhar, não perca. O Ituano não está de graça no campeonato. Eu não entendo porque estão atrás na tabela com o que jogaram hoje", argumentou. "É um time que vai evoluir", emendou.

Cavalo não concorda que o Criciúma recuou depois de buscar o 1 a 1 no primeiro tempo. "O adversário veio para cima, buscar o resultado, e nós estamos jogando no contra ataque. Melhor baixar as linhas e buscar o contra ataque, no fim era para ganhar o jogo, no impedimento que não existiu, quando armamos uma jogada de contra ataque", comentou o técnico tricolor.

Ele afirmou ter certeza que fez uma boa troca quando substituiu Alisson Taddei por Andrew. "Eu não acho, eu tenho certeza. O atleta está ali para isso, o Andrew mereceu, o Alisson teve um corte no supercílio não rendeu tanto contra o Volta Redonda, hoje entrou bem. Estou satisfeito com o que fiz", disse.

A princípio, Cavalo não quis entrar na análise do desempenho da arbitragem. "Aí cabe à diretoria analisar", apontou. Mas em seguida, indagado sobre o que conversou com o árbitro depois da partida, Cavalo disse o seguinte: "falei com convicção que na hora do gol ele poderia sim, a bola não tocou nele como a regra, estávamos inteiros na bola, acabamos tomando o gol. Depois, o gol no travessão que estamos na dúvida, e depois o impedimento que não existiu, poderíamos ter decidido o jogo".

O técnico reconheceu que, no fim do jogo, tinha planos de colocar o jovem João Carlos em campo, mas teve que mandar o zagueiro Rodrigo Milanez para a partida. "A ideia era botar o João, mas como tomamos amarelo com o Kaike, Vitão da mesma forma, e a bola aérea, tanto para fazer quanto para não tomar o terceiro, entrou o Rodrigo para a estatura", frisou. 

Cavalo apontou, ainda, as dificuldades que o Criciúma teve na marcação. "No primeiro tempo, uma marcação mais específica. O Ituano chegou bem, trocando passes. Pela esquerda, normal a dificuldade, eles são fortes pela direita, mas achei que foi bem, com o Kaike marcando, o Ituano jogou bem por ali", comentou. 

Questionado sobre o desempenho do atacante Michel, que não fez gol nesta noite, Cavalo elogiou. "Está batalhando, lutando, quando teve chance, fez. Não teve chances claras, quando teve chance de fazer uma jogada individual buscando tabela ele tentou, mas é um jogador que tem nos ajudado muito, e vai continuar nos ajudando", destacou.

Por fim, Cavalo voltou a enfatizar que era importante vencer. "Nunca gosto, sabor de vitória é vitória, mas a derrota dói muito, preocupa. Está de bom tamanho da maneira que foi", concluiu.

Ouça a entrevista do técnico do Criciúma após o jogo em Itu no podcast: