Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ricardo Beloli fala sobre a saída do MDB e quer levar Jefferson Monteiro junto

Ele era vice-presidente da executiva em Criciúma e reclamou da falta de renovação no partido
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 08/08/2019 - 11:01
(foto: Erik Behenck)
(foto: Erik Behenck)

Na quarta-feira, 7, Ricardo Beloli, que era vice-presidente do MDB em Criciúma, deixou o partido. Hoje ele esteve no Programa Adelor Lessa, para falar sobre os motivos que fizeram tomar essa decisão. Segundo ele, vai demorar para que o partido consiga ter uma renovação na cidade, sendo esse um dos principais motivos.

“Chegou uma hora que eu disse deu. Deixo o cargo e vou sair com convicção, nunca tive tanta convicção na vida. Eu tenho o dever cumprido com o MDB”, afirmou. Ele tem mais de 40 anos de militância política. “O MDB está muito engessado, as palavras do dia a dia não são dinâmicas. Em quatro eleições para prefeito estávamos vindo com coligações de Florianópolis”, completou.

Para ele, o problema foi que a cúpula não renovou o partido em Criciúma, sendo uma responsabilidade em conjunto. Atualmente o MDB tem quatro vereadores na cidade, Beloli acredita que o número será menor após as eleições de 2020.

Relação com Jefferson Monteiro

O advogado Jefferson Monteiro é o pré-candidato do MDB para o ano que vem, à Prefeitura de Criciúma. Beloli pretende levá-lo para o seu novo partido. Ele poderá ir para o PR, do senador Jorginho Mello. Monteiro está filiado no partido desde 2015, quando foi chamado pelo agora ex-vice-presidente.

“Eu preciso ter uma conversa com o Monteiro, vou fazer de tudo para que ele vá comigo”, afirmou. “Tem muito pré-candidato na cidade e tem um que está sustentando, que é o Jefferson Monteiro. Eu espero que ele seja candidato pelo partido que eu vou migrar”, completou Beloli.

Segundo ele, Monteiro é uma importante liderança para o partido em Criciúma. Aproveitou ainda para falar sobre o novo presidente do MDB na cidade, Jefferson Rodrigo Ganso. “É um guri gente boa, mas ainda não é um cara muito articulado. Ele vai ter uma tarefa difícil, vai ter que trabalhar. Eu acho que a renovação vai demorar um pouco”, concluiu.