Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Queremos jogar em cima, para trazer o torcedor conosco”

No Debate Aberto, Beto Campos falou sobre acesso, treinamentos e rotação do grupo
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 27/09/2017 - 13:17Atualizado em 27/09/2017 - 13:20
(foto: Mano Dal Ponte)
(foto: Mano Dal Ponte)

Com dois jogos no comando do Criciúma, Beto Campos participou do Debate Aberto, da Som Maior FM, falando sobre os objetivos da temperada, o clássico contra o Figueirense e trabalho com o grupo.

“Passar pelo Criciúma é um passo importante para atingir o sucesso na carreira. É um caminho realizado por muitos treinadores vindos do Rio Grande do Sul”, destacou.

Ele acredita que os treinamentos são fundamentais para conseguir resultados positivos. “Temos que treinar como vamos jogar. Isso em todos os sentidos, o posicionamento e o condicionamento”. Embora tenha repetido a equipe nos confrontos diante do CRB e recebendo o Figueirense, a rotação de jogadores deve acontecer. “Numa competição longa você precisa trabalhar com o grupo todo, porque uma hora vai precisar”, completou Beto.

Seu estilo de trabalho envolve muita conversa com os atletas. Segundo ele, as equipes jogam cada vez mais fechadas, então é preciso chutar de fora da área. No confronto de terça-feira (26), contra o Figueirense, novamente o Criciúma não venceu jogando em casa, foi o quarto tropeço nos últimos cinco jogos.

“Eu escutei antes do jogo que a equipe não vinha jogando bem em casa, e dá para ver isso nos números. Mas eu prefiro sempre jogar em casa, queremos jogar em cima, pelos lados do campo, para trazer o torcedor conosco. Depois do jogo tudo bem criticar ou vaiar, mas ontem os torcedores ajudaram”, afirmou. 

O Criciúma dominou o primeiro tempo, perdendo algumas chances reais. Na segunda etapa o confronto foi mais equilibrado. “A torcida aplaudiu porque viu até os últimos minutos que tivemos uma chance. Que o torcedor acredite, pois vamos continuar trabalhando forte para atingir o objetivo”, finalizou.