Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

“Precisamos de soluções, não de complicações”, fala representante do setor de eventos

Ramo é um dos mais prejudicados devido à pandemia
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 30/12/2020 - 18:43Atualizado em 30/12/2020 - 18:47
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A representante do setor de eventos, Daiane Savi, afirmou ao Programa Ponto Final, da Rádio Som Maior, que está cada vez mais difícil superar os problemas causados pela pandemia e também de entender o que pode e o que não pode funcionar. “Está cada vez mais difícil de entender tudo isso. De manhã pode, à noite não pode mais. Pelo fato de a gente trabalhar com planejamento, fica difícil até mesmo dos clientes confiarem. Ainda estou buscando informações para ver o que a gente pode fazer em termos de eventos sociais porque está confuso o que está liberado e o que não está liberado”, comentou.

Ela salientou ainda que os representantes do setor têm esperança de que tudo mude no próximo ano. “Mas do jeito que está, a gente fica com mais medo ainda. Precisamos de um planejamento, que a economia realmente funcione, pois isso, acaba afetando milhares de pessoas. Chegou a um momento que todos estão no mesmo barco, afeta comércio, restaurante. Precisamos de soluções, não precisamos de complicações. Precisamos que esclareçam as coisas. A gente vai seguir os protocolos, não pode é ter esta bagunça que está tendo. As pessoas precisam ter responsabilidade dos atos, clandestino ou não. Vai vir aumento devido às aglomerações de fim de ano e acaba prejudicando a todos”, pontuou.