Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Porque o mercado norte-americano influencia tanto na bolsa brasileira?

Com a bolsa dos EUA fechada nesta sexta, movimentações na B3 caem drasticamente
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 03/07/2020 - 16:48Atualizado em 03/07/2020 - 16:50
Foto: divulgação
Foto: divulgação

O feriado de 4 de julho dos Estados Unidos, dia da indepedência do país, foi antecipado para esta sexta-feira, 3, e por isso a bolsa norte-americana não irá abrir. Com isso, consegue-se medir o impacto do mercado norte-americano na bolsa brasileira, já que quando lá está fechado o valor negociado aqui cai consideravelmente.

"Em dias normais, nossa bolsa negocia em média entre R$ 25 bilhõe e R$ 35 bilhões. Hoje, quando está fechado nos EUA, a média de negociação um pouco antes do meio dia está em pouco mais do que R$ 6 bilhões, está muito baixo", afirmou o economista Gustavo Guarnieri, em entrevista ao 60 minutos desta sexta.

Apesar da queda, isso não significa que o mercado norte-americano moviemnta toda a bolsa brasileira. Atualmente, cerca de 55% e 60% do que é negociado diariamente na B3 são de investidoras estrangeiras. Dessa forma, o mercado brasileiro fica extremamente suscetível ao que o estrangeiro está achando o país.

"Não é só hoje que o investidor grande de fora não negocia aqui, por conta do feriado americano. Hoje eles deixam de lado e não começam a operar no Brasil porque não sabem direito como será o próximo dia no mercado americano, o que vão achar ou não do Brasil. Então se perde um pouco a referência e os grandes investidores daqui também deixam de operar", afirmou Gustavo.

O fato do feriado vir logo em uma sexta-feira também contribui para a incerteza dos investidores, já que ainda há todo um final de semana pela frente, somado ao dia de hoje, em que não se sabe o que irá acontecer na economia.