Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

PM interdita festa em Jaguaruna e é atacada por populares

Objetos foram arremessados contra os policiais durante fiscalização na Barra do Torneiro
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Jaguaruna - SC, 11/01/2021 - 08:32Atualizado em 11/01/2021 - 08:58
Foto: Divulgação / Polícia Militar
Foto: Divulgação / Polícia Militar

Policiais militares da 6ª Região da PM foram recebidos com hostilidade neste fim de semana, após interditarem uma festa na praia da Barra do Torneiro, divisa entre o município de Jaguaruna e Balneário Rincão. Segundo informações do comandante da Polícia Militar, coronel Evandro Fraga, os populares chegaram até mesmo a arremessar objetos nos policiais.

“A resposta da PM foi com o uso progressivo e diferenciado da força, tendo em vista que as pessoas arremessaram vários objetos contra as guarnições. Um dos veículos de uma das pessoas que estava participando do evento, inclusive, tentou atropelar um dos policiais militares”, destacou o comandante.

De acordo com Evandro, existe um certo “histórico” de ações por parte da PM na Barra do Torneiro, visto que tradicionalmente muitas pessoas se deslocam à praia com o objetivo de realizarem festas - atualmente proibidas, por conta da pandemia de Covid-19. A realização de eventos no Torneiro preocupa a PM, já que recentemente armas de fogos e drogas foram apreendidas neste local.

Ainda neste fim de semana, a Polícia Militar seguiu com as operações de fiscalização por conta da pandemia. A média dos últimos dias se manteve: cerca de 500 fiscalizações em diversos espaços e ambientes, inclusive em locais públicos.

“O destaque foi para oito notificações que foram realizadas, normalmente pela não observação do distanciamento necessário em determinados ambientes. Dessas oito, foi gerada uma interdição no Balneário Gaivota e também um termo circunstanciado, em razão da aglomeração de pessoas”, declarou Evandro.

O comandante destaca ainda ações de orientação que a PM segue realizando em estabelecimentos na região. Isso porque muitos estabelecimentos comerciais contam com horários de pico em que, geralmente, há uma concentração considerável de pessoas - o que faz com que as medidas de segurança básicas tenham que ser reforçadas.