Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Pautado pela representatividade, PSB busca fortalecimento no sul catarinense

Partido busca fechar chapa completa para
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 28/01/2021 - 10:04Atualizado em 28/01/2021 - 10:30
Foto: Vitor Netto / 4oito
Foto: Vitor Netto / 4oito

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) vem trabalhando em um processo de reestruturação partidário e fortalecimento da sigla no sul de Santa Catarina, no estado de maneira geral e, também, em âmbito nacional. A meta é fechar chapas completas para as eleições de deputados estaduais e federais de 2022, pautados principalmente pela representatividade dentro do partido.

Nos últimos dias, o PSB vem trabalhando com reuniões e atos de filiações na Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc). A liderança no Vale do Araranguá ficará a cargo do professor universitário Alex Bristot, filiado recentemente ao partido.

“O Alex foi candidato a vice-prefeito em Santa Rosa do Sul e ajudará a gente na construção do PSB no Vale do Araranguá. Ele vem com essa missão e, também, pensando em uma candidatura a deputado estadual”, destacou o presidente da sigla em Criciúma, Fábio Brezola.

De acordo com o presidente estadual do PSB, Cláudio Vignatti, a ideia em Santa Catarina é reunir pessoas capacitadas para construir uma base alinhada com o partido nacional. A meta para os próximos dois anos é forte: fechar a composição de 60 candidatos a deputados estaduais em SC e 24 candidatos para a Câmara Federal.

“O pessoal está enxergando no PSB a possibilidade de construir uma proposta diferente, porque estão vindo e ajudando a criar um projeto para SC. Estamos falando de um projeto de governança, política pública, desenvolvimento econômico e social. Um projeto condizente condizente economicamente com as políticas públicas”, pontuou Vignatti.

Representatividade

O período de reconstrução do partido é pautado também pela representatividade na composição da sigla. Um dos focos, segundo Vignatti, é justamente trazer as mulheres para o PSB. De acordo com o presidente, a meta é de que dos 60 candidatos a deputado em SC, 30 sejam homens e 30 mulheres.

“Estamos trabalhando nessa linha de que tenhamos as mulheres juntas nesse partido. A mulher não é cota no PSB, que passa a ser de fato um partido das mulheres. O PSB, em sua provação dessa luta política, discute aquilo que o México fez e que os progressistas do mundo estão discutindo: 50% do parlamento tem que ser ocupado por mulheres”, afirmou.

Vignatti ressalta, também, uma luta do partido no acolhimento da causa da igualdade racial, para que cada vez mais negros se candidatem a cargos políticos dentro do PSB. Na pior das hipóteses, segundo o presidente estadual, a sigla deverá eleger três deputados estaduais e um federal em 2022.