Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Paulo Baier fala sobre mágoa após dispensa do Criciúma em 2014

Na época ele tinha 40 anos e foi liberado antes do término do Campeonato Brasileiro
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 04/03/2018 - 17:49
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

Paulo Baier teve três passagens pelo Criciúma, conquistando dois títulos importantes e marcando gols decisivos. A primeira delas aconteceu entre 1997 e 1998, quando venceu o Campeonato Catarinense, retornou em 2002 e foi campeão da Série B com direito a marcar três vezes na final, e a última já no fim da carreira, em 2014. Na época, o Criciúma foi rebaixado e Baier dispensado antes do término do Campeonato Brasileiro. No Som Maior Esportes ele falou sobre essa mágoa.

“Eu sempre agradeci ao Criciúma pela oportunidade de ser visto no Brasil inteiro. Cheguei em Vasco, Botafogo, Atlético Mineiro, depois retornamos. Logicamente na última passagem eu acho que teve uma falta de respeito. Tanto que a gente fez pelo clube e as vezes as pessoas não lembram”.

Em 2014 o Criciúma terminou a Série A na última colocação e foi rebaixado. Paulo Baier ficava algumas vezes no banco por acreditarem que não poderia jogar ao lado de Cleber Santana. O ex-jogador lamentou a morte do companheiro e contou que havia feito um estágio de uma semana na Chapecoense, pouco antes da tragédia.

Paulo Baier acredita que poderia ter sido melhor aproveitado no Tigre, mesmo aos 40 anos, já que no ano anterior foi bem no Atlético Paranaense, ajudando a equipe chegar na final da Copa do Brasil e conquistar uma vaga na Libertadores da América.

“Mesmo com 39 anos, no Atlético Paranaense eu fui eleito o melhor meia do Campeonato Brasileiro, então faltou um pouquinho mais de consideração, desde a diretoria até os técnicos que passaram. São coisas do futebol, mas eu levo essa mágoa”, pontuou.

Também foi contra o Criciúma que o ex-jogador marcou seu 100º gol pelo Campeonato Brasileiro, no Heriberto Hülse, não comemorando em respeito. Finalizando a entrevista, Baier disse que torce pela evolução do Tigre e não descartou a chance de treinar a equipe no futuro.