Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Pastoral Carcerária é beneficiada com Fundo Nacional de Solidariedade

Projeto será implantado na Penitenciária Sul, de Criciúma
Por Redação Criciúma, SC, 16/10/2018 - 06:45

O projeto social “Novos Caminhos”, da Pastoral Carcerária da Diocese de Criciúma, foi um dos escolhidos pelo Departamento Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para, a partir deste ano, receber auxílio por meio do Fundo Nacional de Solidariedade. A ação foi contemplada no eixo de projetos produtivos de “superação de vulnerabilidade econômica e geração de renda”.

O recurso de R$ 20 mil possibilitará a concretização do projeto que, em resumo, propõe a produção de sandálias tipo havaianas, por parte dos reeducandos da Penitenciária Sul de Criciúma. Com o trabalho, os reeducandos irão remir suas penas e beneficiar seus familiares, que serão cadastrados por assistentes sociais e receberão as sandálias, podendo customizá-las e vender para a produção de renda. Além disso, o projeto também beneficiará entidades filantrópicas com doações de chinelos, bem como os próprios reeducandos, que utilizarão o único tipo de calçado permitido dentro da instituição.

“O projeto Novos Caminhos foi desenvolvido pela Pastoral Carcerária com o objetivo de ressocializar o reeducando, através do trabalho. Entendemos importante o trabalho do reeducando, pois valoriza-o como pessoa e, assim, o qualifica para quando deixar o sistema prisional ter um retorno saudável à sociedade, que é um fator relevante para diminuição da reincidência”, pontua o responsável pela execução do projeto, o advogado e agente da Pastoral Carcerária, Heron Bristot Bernardo.

A instituição responsável pela captação do recurso é a Diocese de Criciúma, na pessoa do Bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach. “O serviço da Pastoral Carcerária é um trabalho do qual nós nos orgulhamos bastante, pois vemos que é um algo bonito, de humanização”, destaca.

Antes do trabalho haverá sempre palestras motivacionais. O projeto será realizado dentro da unidade prisional, de segunda à sexta-feira, com cinco reeducandos monitorados por chefes de oficina. O período de execução está programado para 30 de novembro de 2018 à 30 de julho de 2019.