Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Para Pedro Ernesto Denardin, o Brasil tem 50% de chance de levar o hexa

Narrador gaúcho vai para sua 11ª Copa do Mundo e diz que já virou rotina (áudio)
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 07/06/2018 - 18:36Atualizado em 07/06/2018 - 18:52
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

A Copa do Mundo começa na próxima quinta-feira, dia 14, e os preparativos para o torneio seguem a todo vapor. Arthur Lessa entrevistou no Ponto Final o locutor gaúcho Pedro Ernesto Denardin, que vai para a cobertura de seu 11º Mundial, tendo começado em 1978 na Argentina.

“É um espetáculo que se repete. A gente vai para trabalhar, é uma atividade como outra, como ir no Heriberto Hülse transmitir o jogo do Criciúma”, disse.

De acordo com o locutor, cada repórter tem sua maneira de se preparar. Ele citou o livro de João Nassi, “Almanaque das Copas”, como um mecanismo de estudo. Pedro Ernesto disse que a Copa de 2002 foi a mais especial do ponto de vista profissional. Também analisou a chance do Brasil conquistar o hexa.

“Dá para esperar. No time de 2002 tinha Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo e Ronaldo, Roberto Carlos e Cafú. Hoje não tem isso, tem o Neymar. A Espanha tem uma boa seleção, a Alemanha tem uma boa seleção. Eu diria que o Brasil tem 50% de chance de ganhar a Copa do Mundo”, disse.

Confira a íntegra da entrevista