Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Operação Seival desarticula organização criminosa em Laguna

Resultado de uma parceria entre Policia Civil e MP, operação cumpriu 76 ordens judiciais
Redação
Por Redação Criciúma - SC, 21/11/2017 - 11:53Atualizado em 21/11/2017 - 11:55

Foi deflagrada nesta terça-feira (21) a “Operação Seival” que visa desarticular uma organização criminosa voltada à prática de crimes contra a administração pública.  Ao todo, 76 ordens judiciais, sendo sete prisões preventivas, seis prisões temporárias, 25 mandados de condução coercitiva e 38 mandados de busca e apreensão, estão sendo cumpridas por 90 Policiais Civis na região de Laguna. As medidas cautelares foram expedidas pela Vara Criminal de Laguna e são frutos de investigação de três Inquéritos Policiais conduzidos pela Polícia Civil Catarinense.

Através de investigações, foi descoberta uma organização criminosa que atuava na área de licitações, especificamente na realização de obras e fornecimento de materiais, e que possui entre os seus integrantes, um vereador da cidade, que foi licenciado do cargo para exercer a função de secretário municipal.

A organização teria financiado a campanha do vereador, que também fez articulações para obter licitações em benefício do grupo, bem como intermediou junto à Secretária da Fazenda para liberação de dinheiro após a realização de obras ou serviços.

O vereador intermediou ainda o recebimento de valores da Prefeitura Municipal por parte de um empresário que também era participante do grupo criminoso.

Um segundo inquérito policial apurou que este mesmo vereador, ainda no período em que atuou como Secretário Municipal, ordenou para que seus subordinados aprovassem os candidatos por ele indicados, como, também, vazou informações sigilosas, a fim de garantir suas respectivas aprovações.

O terceiro inquérito teve início com uma denúncia anônima e, com base nas investigações, foi possível comprovar os constantes desvios de materiais, que deveriam ser utilizados na reforma de um colégio local, para uma obra particular de um agente político da cidade.

Além disso, com o desenrolar das investigações, outros delitos foram descobertos sendo que todos eles tinham algum envolvimento com políticos locais que recebiam propinas para beneficiar alguns amigos ou funcionários.

A Operação Seival foi realizada pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio Público da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DCCPP/DEIC) e Delegacia da Comarca de Laguna da 18ª Delegacia Regional de Polícia, em conjunto com o Ministério Público, por meio da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Laguna.

Com informações da Polícia Civil de Laguna.