Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O rompimento de Moisés e Daniela e a relação com Criciúma

Governador esteve apenas duas vezes na cidade desde que assumiu o Estado
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 26/10/2020 - 13:30Atualizado em 26/10/2020 - 13:41
Arte: Beatriz Coan / 4oito
Arte: Beatriz Coan / 4oito

Eles foram eleitos sob a bandeira do Bolsonarismo e na onda do 17. Ambos do PSL, Carlos Moisés da Silva (PSL) e a vice Daniela Reinehr (sem partido), tinham discurso afinado entre eles e com o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). Isso, pelos menos até a posse, no ano passado.

As divergências começaram a aparecer. Moisés com opiniões diferentes daquelas pregadas pelo bolsonarismo e Daniela firme em sua posição alinhada ao presidente. A separação se tornou ainda mais visível quando Bolsonaro saiu do PSL. Enquanto Moisés optou por permanecer na sigla, Daniela seguiu os passos do presidente. 

A vice-governadora, inclusive, sempre fez duras críticas ao governador, enter elas, a tentativa de instalação de um hospital de campanha para tratamento de pacientes de Covid-19, entre outros.

Em visita de Eduardo Bolsonaro à Santa Catarina, o rompimento dos bolsonaristas com Moisés. Entre eles, a vice Daniela Reinehr

Duas visitas a Criciúma

Com a chegada de Daniela ao Governo do Estado, a esperança para Criciúma, já que a relação entre Moisés e o prefeito Clésio Salvaro (PSDB), nunca foi das mais amistosas. Ela ainda se manifestou quando ocorreu a Operação Oxigênio, criticando a compra dos 200 respiradores.

Carlos Moisés esteve apenas duas vezes em Criciúma em quase dois anos de mandato. A primeira foi em março de 2019, quando primeiro conheceu as instalações do Paço Municipal Marcos Rovaris  e se reuniu com Clésio Salvaro e outras lideranças da cidade.

Carlos Moisés, ao lado de Salvaro, conhecendo o Paço Municipal / Foto: Denis Luciano / 4oito / Arquivo

No mesmo dia ele foi até o Cedup, onde assinou repasse no valor de R$ 2,7 milhões, para beneficiar 4.530 alunos com o transporte escolar. 

Salvaro e Moisés em um ato no Cedup em março de 2019 / Foto: Denis Luciano / 4oito / Arquivo

A segunda visita de Carlos Moisés a Criciúma foi em setembro de 2019, há mais de um ano, quando foi a Unesc e anunciou o Centro de Inovação, a pavimentação da Jacob Westrup e a revitalização da Rodovia Jorge Lacerda.

Em 2019, Clésio Salvaro chegou a tratar do rompimento de contrato com a Casan. A última passagem pelo Sul ocorreu na sexta-feira, enquanto o Tribunal Misto do Impeachment decidia o seu futuro. No mês passara Antes ele esteve em Cocal do Sul, onde anunciou o término da pavimentação da SC-442.

Em agosto, Carlos Moisés da Silva foi à Içara para assinar convênio para a pavimentação dos 6,7 quilômetros da Rodovia do Trilhos. Recentemente ainda esteve em Siderópolis e Araranguá, todas passagens discretas.

Ao lado da reitora da Unesc, Luciane Ceretta, a última visita de Carlos Moisés à Criciúma, em setembro de 2019

Daniela, uma vez na cidade

A vice, Daniela Reinehr, que assume o Governo do Estado nesta terça-feira, 27, esteve uma vez em Criciúma. Há cerca de um ano ela participou de encontro na Câmara de Dirigentes Lojistas de Criciúma (CDL), quando recebeu uma pauta de reivindicações dos empresários.

Há duas semanas, Daniela passou pelo Sul, mas para acompanhar a assinatura da concessão dos parques nacionais Aparados da Serra e da Serra Geral, situados em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.