Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O lamento do advogado de Carlos Moisés da Silva

Por outro lado, Marcos Probst destaca os quatro votos pelo arquivamento proferido por desembargadores e a exclusão de Daniela Reinehr do processo
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Florianópois, SC, 24/10/2020 - 08:38Atualizado em 24/10/2020 - 08:41
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Como não poderia ser diferente, o advogado do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), Marcos Probst lamentou a decisão do Tribunal Especial de Julgamento que afastou o governador do cargo por 180 dias. “A defesa lamenta a decisão do colegiado, respeita a decisão. Foram quatro votos contundentes pela absolvição sumaria do governador Carlos Moisés, o que demonstra que inexiste de fato crime de responsabilidade praticado pelo governador. Infelizmente não se alcançou os votos necessários para absolvição do governador desde, mas a defesa enaltece estes quatro importantes votos de quatro desembargadores muito conceituados que desde já deixaram muito clara a inexistência de justa causa, ou seja, a inexistência de ato ilegal”, enfatiza.

Por outro lado, ele destaca o arquivamento da denúncia contra Daniela Reinehr. “De outro lado, me parece positivo, pelo menos neste momento a exclusão da vice-governadora. Ela também não praticou ato ilegal algum e nós não temos dúvida que a parti deste momento o julgamento final do que toca o processo de impeachment será pelo arquivamento, ou seja, pela ausência de crime de responsabilidade inclusive partindo votos hoje já concedidos de forma intensa de forma contundente pela completa responsabilidade do governador no toca a pratica de qualquer ato ilegal”, comenta.

Na próxima semana segue outra batalha para a defesa do governador, já que será constituído o tribunal especial. “Vamos acompanhar a constituição dos cinco deputados e dos cinco desembargadores que irão compor este novo tribunal especial. É um outro processo que correrá paralelamente a este”, finaliza.
 

Confira a entrevista do advogado Marcos Probst: