Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O foco do MDB é nos candidatos a vereadores em 2020

Partido deverá ter Jefferson Monteiro como candidato a prefeito em Criciúma
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 09/09/2019 - 09:06Atualizado em 09/09/2019 - 09:14
(fotos: Erik Behenck)
(fotos: Erik Behenck)

Daqui um ano estaremos em véspera de eleição, marcada para o dia 2 de outubro de 2020. Com a mudança no formato de coligações, a expectativa do MDB é de eleger quatro ou cinco vereadores, conforme Tita Belloli. O partido está buscando o seu caminho em Criciúma e deverá ter o advogado Jefferson Monteiro como candidato à Prefeitura.

“A gente tem que começar uma casa pelo alicerce, não adianta ter um prefeito sem uma bancada forte. Precisamos de uma bancada forte, para manter os quatro vereadores ou até mesmo aumentar para cinco. Sabemos que com as mudanças nas coligações os partidos maiores tem mais chances de eleger vereadores”, citou Belloli.

Para ele, as maiores bancadas de Criciúma serão do PSDB e do MDB, e quem sabe do PSL. O vereador lembrou que o partido seguirá apoiando o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) durante este processo e que é preciso não misturar as duas coisas. O vereador Toninho da Imbralit reforçou a questão.

“Eu lembro que no primeiro mandato do Clésio Salvaro, nós do MDB fomos chamados pelo diretório do MDB, pedindo sustentação ao Governo Salvaro. Nós mantivemos a posição. Nós sabemos que nas eleições existe uma guerra, nós trabalhamos unidos por essa posição. O Clésio venceu, então procuramos ajudar Criciúma a ser cada vez maior”, comentou.

Conforme o vereador Paulo Ferrarezi, é possível até mesmo que seja feita uma aliança entre o MDB e o PSDB na eleição majoritária.

“Eu nunca pensei em sair do MDB. É claro, eu já recebi convite, mas este não é o desejo. O MDB já me ajudou muito e a cidade. Queremos fazer uma bancada forte”, afirmou. “Eu acho que na política pode acontecer de tudo. Quem duvida que a gente não vai estar com o MDB?”, completou o vereador.

A saída de Ademir Honorato

O vereador Ademir Honorato foi liberado do partido e deverá ir ao PSL, sem perder o mandato. Conforme o presidente do partido na cidade, Jefferson Rodrigo Ganso, é preciso contar com membros engajados. “A gente tem que estar com pessoas bem focadas na política e no partido”, frisou. Por enquanto a prioridade é montar uma nominata de vereadores.

“Quando a gente começou esse processo de transformar e reestruturar o partido, sempre viemos conversando com o diretório de Criciúma. A gente tem muito respeito ao ex-governador Eduardo Moreira, por ser o nosso líder hoje. Respeitamos sempre a posição das pessoas que compõe o partido, então as decisões são sempre tomadas em conjunto”, garantiu.