Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O curioso caso da primeira-dama barrada em Urussanga

Vereador denuncia que indicada pelo prefeito afastado não deu lugar à mulher do atual prefeito em entidade local de assistência social
Por Enio Biz Urussanga, SC, 06/04/2022 - 14:45 Atualizado em 06/04/2022 - 15:37
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

Mais uma polêmica em Urussanga. O fato inusitado, agora, está relacionado ao comando da Associação Urussanguense de Assistência Social (AURAS). Esta associação é constituída de uma diretoria eleita, porém o prefeito é quem indica a presidência, de acordo com o art. 38 do Estatuto. A atual presidente é Gricelda Talamini, uma indicação do prefeito afastado, Luis Gustavo Cancellier (PP). Ela permanece na função mesmo após o afastamento de Cancellier.

O prefeito interino, Jair Nandi (PSD), teria direito de indicar uma nova presidente. O problema é que a esposa de Nandi, que é a atual primeira-dama, está sendo barrada no AURAS. O assunto foi levantado na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Urussanga, na noite desta terça-feira (06), pelo vereador Luan Varnier (MDB).

"O AURAS faz um trabalho importante no município e tem uma história bonita. A primeira-dama é empossada como presidente de honra. Infelizmente nos deparamos com a situação de que a presidente atual, a Gricelda, não quer empossar a primeira-dama. Não deixa a primeira-dama fazer o seu trabalho social. É uma situação muito triste. Não dá pra gente aceitar isso. O prefeito foi afastado, continua recebendo, e não querem largar o osso, como se a prefeitura fosse a casa deles", afirma o vereador.

Na tribuna, o vereador disparou contra a atual presidente e pediu para que deixem a atual primeira-dama trabalhar. "Não é que ela não quer participar, é que ela não pode. A presidente da Auras, vinculada ao outro prefeito, não deixa. Como se o Auras fosse a casa dela. Essa gente é mal acostumada. Vamos respeitar o prefeito que está ali. Ele não pediu para ser prefeito, ele era vice. Está ali porque o prefeito eleito foi afastado. A cidade está cansada. Vamos deixar a primeira-dama trabalhar", finaliza.

Confira o podcast da participação na tribuna do vereador, Luan Varnier:

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito