Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ministro dá sinal verde para UPA no Rio Maina

Prefeito apresentou o projeto de construção da unidade e solicitou o custeio ao Governo Federal
Por Bruna Borges Criciúma, SC, 14/03/2019 - 09:41
Divulgação
Divulgação

A agenda do prefeito Clésio Salvaro em Brasília foi curta, mas resultou em um sinal positivo do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas do Rio Maina. 

Garantir o custeio dessa nova unidade era a principal pauta de Salvaro na capital federal e, de acordo com a deputada federal Geovânia de Sá, que acompanhou a visita, o ministro declarou que a Prefeitura pode dar andamento à construção da UPA para depois buscar o custeio junto ao Governo Federal.

“A ideia do prefeito é transformar a policlínica do Rio Maina em uma Unidade de Pronto Atendimento e a dúvida era em relação ao custeio dessa unidade depois de pronta, porque essa é sempre a grande questão. E o ministro nos disse: construam, depois nós vamos agilizar a documentação necessária para o custeio”, afirma a deputada.

O processo é semelhante ao que foi feito na UPA da Próspera, inaugurada em julho e que obteve recentemente a sua habilitação para receber os recursos federais. A diferença no caso do Rio Maina é que a obra será realizada com recursos próprios da Prefeitura, o que agradou ao ministro.

“Claro que essa é uma primeira articulação, por isso eu pedi que a audiência fosse diretamente com o ministro e foi isso o que nós ouvimos dele, o que nos dá bastante segurança e tranquilidade para levar adiante o projeto”, declara Geovânia.

Participaram também da reunião no Ministério da Saúde o deputado federal, Daniel Freitas, o vereador líder de governo, Aldinei Potelecki, e o assessor do gabinete do prefeito, Vagner Espíndola. O convite que Salvaro faria ao ministro do Desenvolvimento Regional para a inauguração da segunda etapa do prolongamento do Canal Auxiliar ao Rio Criciúma não coube na agenda e será realizado hoje por Espíndola, que permanece em Brasília para tratar de outros assuntos de interesse do município.