Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mercado Livre poderá abrir centro de distribuição em Içara

Vinda da empresa para a região proporcionaria 500 novos empregos
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Içara - SC , 10/07/2020 - 15:58Atualizado em 10/07/2020 - 16:01
Foto: reprodução
Foto: reprodução

O município de Içara poderá ser o escolhido para receber um novo centro de distribuição do Mercado Livre, uma das maiores plataformas de compra e venda de produtos online da América Latina. A possibilidade da empresa argentina escolher a região para se instalar surge após uma série de tratativas com o Rio Grande do Sul - a qual acabou não progredindo.

"A ida do Mercado Livre estava praticamente assegurada para o Rio Grande do Sul, todavia houve um desentendimento entre a diretoria dessa empresa e a Secretaria de Estado da Fazenda do RS. Diante disso, eles procuraram a Secretaria da Fazenda de Santa Catarina e, rapidamente, o secretário Paulo Eli equacionou aquilo que, no RS, não ficou resolvido", destacou o prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon.

Segundo Murialdo, exsite então uma possibilidade concreta do ML se estabelecer em Criciúma - sobretudo, na região. "Na hipótese de vir para SC, a sua localização seria no trecho sul da BR-101 entre Paulo Lopes e Passo de Torres. Acredito que Içara reúne as melhores condições entre todos so municípios para que seja no território içarense a opção do ML se implantar em SC", destacou o prefeito.

Apesar da possibilidade, ainda não houve um contato direto entre a Prefeitura de Içara e a diretoria da empresa. No entanto, o senador Dário Berger já conversou com o diretor do ML, o qual gostou da parte logística encontrada em Içara. "Temos 15 hectares e uma topografia que favorece bastante, ficando a 700 metros da BR-101 e 400 metros da Ferrovia Tereza Cristina, que dá acesso direto ao Porto de Imbituba, além de uma proximidade bastante boa com o Aeroporto de Jaguaruna", pontuou Murialdo.

A ideia de um centro de distribuição da empresa em SC seria para que o ML pudesse distribuir seus produtos entre os três estados do sul do Brasil. Caso se concretize a vinda para a região, cerca de 500 empregos poderão ser gerados logo de início.